Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

PE: rede pública vai contratar 540 médicos



29/01/2009
O edital do concurso será divulgado nesta sexta-feira, 30/01. Meta do Estado é preencher vagas de plantonistas nas emergências. Remuneração chega a R$ 4, 2 mil.

Após quatro anos sem concurso público, sairá nesta sexta-feira, 30/01, o edital da seleção que preencherá 540 vagas de médicos nas grandes emergências de todo o Estado de Pernambuco. Em entrevista coletiva, o vice-governador e secretário de Saúde, João Lyra Neto, anunciou que os postos serão abertos apenas para plantonistas. O governo está oferecendo salário-base de R$ 2.090, mas afirma que a remuneração alcança R$ 4,2 mil com as gratificações. Em regime de 24 horas por semana, os profissionais começam a trabalhar em abril.

Para evitar a ociosidade de vagas, problema ocorrido nas últimas seleções simplificadas, o edital será divulgado em outros seis Estados nordestinos. O governo pernambucano pretende atrair médicos da Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Entre as 22 especialidades disponíveis, três concentram 49% das vagas: clínica-geral (104), pediatria (75) e traumatologia (63), que aparecem entre os setores mais deficitários da saúde pública em termos de pessoal.

A validade do processo seletivo é de dois anos. Além das 540 vagas, a secretaria criará cadastro de reserva, com o objetivo de suprir eventuais carências na rede após a convocação dos classificados. Médicos diaristas - que atendem nos ambulatórios - também poderão migrar para as emergências. Em abril, os mais de quatro mil médicos da rede terão a frequência controlada por meio do registro do ponto.

A partir de março, os profissionais submetem-se às regras da lei de produtividade, anunciada após o movimento demissionário que se estendeu de julho a setembro do ano passado. Segundo o secretário, a matéria será remetida à Assembleia Legislativa após o Carnaval. De acordo com a norma, quanto mais procedimentos forem realizados, maior o incremento na renda do plantonista. "Será possível ganhar até 50% acima da remuneração", estima Lyra Neto.

Na opinião do presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Antônio Jordão, o concurso vem em boa hora, porém não soluciona o problema de pessoal no SUS. Segundo o dirigente, os hospitais pernambucanos precisam de mil médicos. Ele defende que a distribuição das vagas da seleção deveria ter sido discutida com o sindicato.

"O levantamento foi unilateral. Tanto que só criaram uma vaga para oftalmologista, quando há déficit. Hoje, a única referência no serviço é uma unidade privada, a Fundação Altino Ventura. Isso mostra que não está havendo reconstrução das emergências oftalmológicas estaduais", critica Jordão.

O secretário de Saúde admite que não é possível o Estado deixar de lançar mão da rede privada e filantrópica. São 13 unidades conveniadas no Grande Recife. Em junho de 2008, ortopedistas dessas instituições cruzaram os braços para cobrar aumento no repasse do SUS, gerando caos nas grandes emergências. Após semanas de impasse, o governo socorreu os filantrópicos com R$ 450 mil por mês durante um trimestre, o que fez os médicos retornarem ao trabalho.

Fonte : Imprensa/Cremepe



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1395 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)