Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar




Palavras-chave

Abastecimento de rem?dios contra aids ser? normalizado semana que vem, diz secret?rio



21/02/2005
Bras?lia - O secret?rio de Vigil?ncia Sanit?ria em Sa?de do Minist?rio da Sa?de, Jarbas Barbosa, disse que a produ??o nacional dos rem?dios utilizados no tratamento da aids ser? retomada na sexta-feira (25). "A partir da pr?xima semana, j? teremos o abastecimento totalmente regularizado", assegurou o secret?rio, em entrevista ? R?dio Nacional AM.



Jarbas Barbosa disse que a falta de medicamento em alguns estados do pa?s, principalmente em S?o Paulo, foi provocada pelo atraso de 60 dias no fornecimento da mat?ria-prima por um laborat?rio indiano. Segundo o secret?rio, grande parte do material foi entregue na semana passada e o restante ser? enviado ainda esta semana.



Para garantir o fornecimento de antirretrovirais aos pacientes enquanto a produ??o nacional n?o ? normalizada, o Minist?rio da Sa?de importou mais de 3,8 milh?es de comprimidos da Argentina. Mais um milh?o de comprimidos chegam hoje ao pa?s, num total de 4,85 milh?es de c?psulas dos antirretrovirais Zidovudina (AZT), Lamivudina (3TC), Indinavir e Atazanavir.



Segundo o secret?rio, o custo desse carregamento ? equivalente a 1% do gasto do governo federal com os antirretrovirais, ou seja, cerca de R$ 6 milh?es. O pagamento poder? ser feito em dinheiro ou com o envio de medicamentos, dependendo da decis?o da Argentina.



Barbosa disse que o atraso na produ??o de medicamentos n?o comprometeu o tratamento dos portadores do HIV. "O minist?rio orientou a rede de assist?ncia aos pacientes para aqueles que t?m uma situa??o cl?nica mais grave para que houvesse de imediato a substitui??o por outras drogas antirretrovirais de maneira que eles n?o tivessem nenhum tipo de preju?zo", explicou.



Atualmente, o Brasil produz os medicamentos com mat?ria-prima importada. O secret?rio defendeu a necessidade de o Brasil se tornar autosuficiente na produ??o da mat?ria-prima. Segundo ele, 150 mil pacientes fazem uso de antirretrovirais que s?o distribu?dos gratuitamente pela rede p?blica de sa?de. Em 2005, a proje??o ? que esse n?mero cres?a para 180 mil.



"Os gastos que n?s temos com antirretrovirais v?o crescer de cerca de R$ 600 milh?es para perto de R$ 900 milh?es em 2005 porque, al?m do crescimento do n?mero de pacientes, n?s estamos incluindo todos os medicamentos mesmo aqueles modern?ssimos", afirmou Jarbas Barbosa. Desde o ano passado, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econ?mico e Social (BNDES) tem oferecido uma linha de cr?dito espec?fica, o Profarma, para o fortalecimento da ind?stria nacional de medicamentos.



O secret?rio avalia que a falta da mat?ria-prima dos antirretrovirais no mercado mundial se deve ao aumento na oferta desses medicamentos em v?rios pa?ses. "N?s tivemos um aumento de consumo muito grande no mundo e fez com que um produto que era muito dispon?vel h? dois anos atr?s, hoje n?s temos dificuldades de encontr?-los no mercado".





Fonte : Ag?ncia Brasil - 21/02/2005



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 490 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)