Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Ministro da Saúde quer discutir situação do médico no Brasil


Foto: divulgação
Ministro da Saúde quer discutir situação do médico no Brasil
Ministro José Gomes Temporão com o secretário de Comunicação da FENAM, Waldir Cardoso (à esquerda), e o vice-presidente José Erivalder Guimarães de Oliveira (à direita). Também na foto, a médica Rosângela Cardoso, do Pará.


29/04/2009
O ministro da Saúde quer discutir com os dirigentes das entidades médicas nacionais a situação do médico no Brasil. Depois de apresentar um painel sobre a experiência do Sistema Único de Saúde (SUS) no 12º Congresso Mundial de Saúde Pública, que acontece em Istambul, na Turquia, José Gomes Temporão procurou os representantes da FENAM no evento e, através do secretário executivo do ministério, Francisco Campos, manifestou o interesse de marcar audiência com as diretorias da Federação Nacional dos Médicos, da Associação Médica Brasileira e do Conselho Federal de Medicina.

O vice-presidente da FENAM, José Erivalder Guimarães de Oliveira, que participou da reunião informal com José Gomes Temporão e com o secretário executivo do Ministério da Saúde, Francisco Campos, disse que a audiência dará ênfase à questão da dificuldade de fixação de médicos em cidades do interior, em regiões de difícil acesso e em locais que apresentem situação de violência, um dos problemas mais graves do setor de saúde no Brasil e que é abordado como prioridade no Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos – PCCV, que a FENAM lançará no dia três de junho. Os principais pontos do PCCV, segundo José Erivalder, serão apresentados ao ministro na audiência.

José Erivalder informou também que no encontro com o ministro a Federação pretende, ainda, reivindicar a implantação da carreira de Estado para os médicos. Ouça o que ele falou sobre esse assunto à jornalista Denise Teixeira.


"O Congresso de Saúde Pública na Turquia está sendo um momento importantíssimo para legitimar a FENAM com interlocutora privilegiada dos médicos. Prova disso é que o ministro da Saúde e o secretário executivo do Ministério, Francisco Campos, nos procuraram para marcar uma conversa sobre a situação do médico no nosso país. Campos disse que o governo reconhece que o médico é peça fundamental para a saúde, que sem esse profissional não se faz saúde pública no Brasil. O governo ficou impressionado com a nossa participação", destacou José Erivalder, acrescentando que nesta quarta-feira (29/04), por exemplo, o diretor do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul e presidente da Federação Médica Sul Brasileira, Sami El Jundi, apresentou poster no congresso com o tema "A influência das entidades médicas na estratégia de saúde pública", discutindo a questão do consumo de álcool e mostrando a experiência do sindicato em uma campanha de combate ao uso dessa droga. "Vejam a importância da nossa presença na Turquia", finalizou o vice-presidente da FENAM.
Fonte : Denise Teixeira/Imprensa FENAM



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1634 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)