Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: sindicato manterá vigilância sobre emergência do Conceição e cobra mais leitos



29/01/2010
A vice-presidente do Sindicato Médico do RS (SIMERS), Maria Rita de Assis Brasil, reforçou, após a vistoria do Conselho Regional de Medicina do RS (Cremers), na última terça-feira (26), que manterá a vigilância para evitar novas superlotações na emergência do Hospital Conceição.

Para Maria Rita, as medidas adotadas pela instituição e que amenizaram a situação de extrema superlotação (na semana passada, havia 120 pacientes internados em uma sala com 30 leitos) do serviço só serão eficazes daqui para frente se houver ampliação de vagas em outras instituições que atendem SUS. Nesta terça, havia 60 pacientes na sala, o dobro da capacidade.

"Só depois da denúncia e pressão das entidades médicas é que uma atitude foi tomada. Agora os gestores das três esferas – município, Estado e União – precisam agir para ampliar a estrutura e evitar que a situação volte aos caos recente", cobrou a dirigente. Segundo a vice-presidente do Sindicato, a direção do hospital teve de suspender internações eletivas (não urgentes) para conseguir abrir leitos nas unidades de internação e reduzir o volume de doentes nas três salas da emergência, que somam 49 leitos e nesta segunda somavam 81 pacientes.

Para o SIMERS, esta medida não pode ser acionada por prazo indeterminado, pois prejudicará pessoas que aguardam cirurgias e outros procedimentos e já enfrentam fila de espera. "Os médicos querem a emergência em condições de prestar assistência. Trata-se de respeitar os direitos humanos das pessoas que nos procuram. Nunca defendemos o fechamento do serviço, mas não aceitaremos mais uma situação como a da semana passada", ressaltou Maria Rita.

A vice-presidente do Sindicato Médico acrescentou que a equipe de profissionais médicos continuará a determinar internações para casos que tenham este encaminhamento, o que demandará mais estrutura e retaguarda de outros hospitais. Maria Rita citou que Porto Alegre teve redução de mais de 40% dos leitos do SUS entre 1992 e 2009. Hoje um em cada quatro leitos do SUS na Capital está no Conceição. Grupo Hospitalar Conceição (GHC) e Hospital de Clínicas respondem pela metade das vagas e atendem demanda local, da Região Metropolitana e do Interior.

O presidente do Cremers, Cláudio Balduíno Franzen, prometeu que a entidade acompanhará o funcionamento, considerou que as medidas melhoraram as condições de assistência, mesmo com o dobro da capacidade. Franzen observou, após a vistoria, que a existência de cadeiras e macas nas salas sugere que o uso dos equipamentos não foi abandonado pela direção.
Fonte : Simers



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1284 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)