Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

MG: médicos de Ribeirão das Neves vão suspender os atendimentos eletivos no dia 16 junho



11/06/2010
Os atendimentos eletivos nas unidades de saúde de Ribeirão das Neves (MG) serão suspensos por 24 horas, a partir das 7 horas do dia 16 de junho, quarta-feira, até as 7 horas do dia 17, quinta-feira. A decisão foi tomada durante assembléia realizada no Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG) no dia 7 de junho, com condução do diretor Fernando Mendonça.

A paralisação é uma forma de protesto à atitude protelatória da Secretaria Municipal de Saúde do Município em relação às demandas dos médicos. Após ter conhecimento da proposta da Prefeitura (ver abaixo), a categoria havia enviado uma contraproposta reivindicando um reajuste de 13,25%, percentual correspondente à perda inflacionária relativa ao período de 2007 a 2010, segundo o Dieese.

Em ofício datado de 1 de junho, e apresentado aos médicos na assembléia do dia 7, o secretário João Marcelo Guimarães de Abreu respondeu de forma vaga que a Gestão da Secretaria Municipal de Saúde está fazendo um estudo de salários junto à região metropolitana para apresentar à Prefeitura, para uma avaliação da viabilidade financeira. Os médicos não ficaram satisfeitos, e têm a convicção de que o reajuste de 13,25% é o mínimo para diminuir as perdas salariais e manter os já insuficientes profissionais no município, onde a evasão tem sido grande e as condições oferecidas não têm atraído novos médicos.

Durante a AGE, os médicos voltaram a relatar várias situações de precariedade no trabalho, relacionadas a contratos irregulares; equipamentos obsoletos e não-cumprimento do acordo que limita em 33 o número de consultas por dia. O sindicato pediu que os médicos reúnam prova dessas situações para a avaliação do departamento jurídico.

Confira abaixo as informações contidas no documento enviado pelo secretário municipal de Saúde, João Marcelo Guimarães de Abreu, em resposta à pauta de reivindicações da categoria:

- Proposta de reajuste de 5.3% retroativo a maio
- a Prefeitura diz que concluiu o estudo para realização de um novo concurso público no ano de 2010, e que a principal dificuldade tem sido a contratação de uma empresa para a realização do concurso, visto que as empresas cogitadas não têm interesse.
- as compras de medicamentos, materiais e equipamentos médicos estão se normalizando.
- a proposta da Gestão está em consonância com a da categoria de três consultas por onze horas trabalhadas, sendo negociado com o sindicato a retirada do acréscimo de 15% de perdas/desistência, onde a especificidade de cada especialidade também está sendo observada.
- a Gestão, com o auxílio da coordenação do Centro de Especialidades Médicas, compôs uma comissão de ética com membros da própria unidade e que, no entanto, a comissão não manifestou interesse de retomar as discussões da elaboração dos fluxos de atendimento e protocolos de referência e contra-referência
- a Prefeitura vem estudando a possibilidade de realização de concurso público para o cargo de médico da saúde da família (40 horas)
- a equipe de planejamento da secretaria vem trabalhando na procura de locação de imóveis para instalação de unidades de saúde, mais confortáveis para as equipes e população.

PRÓXIMA ASSEMBLÉIA: 17 DE JUNHO, 5A FEIRA, NO SINMED-MG
Fonte : SINMED/MG



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1004 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)