Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: denúncias do sindicato provocarão vistorias nos hospitais da capital



15/06/2010
As denúncias do Sindicato Médico do RS (SIMERS), dentro da campanha dos médicos municipários e municipalizados, sobre falta de médicos, leitos fechados e precariedade na estrutura de postos e hospitais do SUS de Porto Alegre serão alvo de vistorias do Conselho Regional de Medicina (CREMERS).

Na noite da última segunda-feira (14), o presidente do SIMERS, Paulo de Argollo Mendes, diretores e médicos do município apresentaram ao CREMERS as maiores deficiências da assistência, que geram hoje superlotação, cancelamentos de cirurgias, filas de espera para consultas com especialistas e sequelas em pessoas que necessitam de procedimentos de traumato-ortopedia e não conseguem ter a continuidade de tratamento.

O presidente do Conselho, Fernando Weber Mattos, informou que os primeiros alvos das inspeções, que começarão esta semana, serão os hospitais de Pronto Socorro (HPS) e Presidente Vargas (HPV), o Pronto Atendimento da Vila Cruzeiro do Sul (conhecido como PAM 3) e o Centro de Saúde IAPI, que também tem PA na área de psiquiatria. O órgão definirá o cronograma e comunicará ao SIMERS, para atuação conjunta. "Vamos levantar os problemas e gerar um dossiê. Depois avaliaremos medidas legais e ouviremos também os médicos sobre a melhor atitude", adiantou Mattos.

EXERCÍCIO DA MEDICINA
O alvo principal serão as condições para exercício da Medicina. O PAM 3 já foi interditado em 2007 e muitos problemas, como superlotação da emergência psiquiátrica, retornaram, conforme os médicos que foram ao Conselho. A explosão dos casos de crack em adolescentes e adultos gera demanda que não é suportada pelo serviço, e não há leitos para internação na rede do SUS. Na traumato-ortopedia, pacientes que necessitam de novos procedimentos, após o primeiro atendimento na emergência, ficam meses e até anos em uma espera incerta.

No HPV, há salas de cirurgia fechadas e leitos desativados por falta de médicos. No HPS, 70 vagas para médicos não foram preenchidas devido à baixa remuneração e precariedade na estrutura física e técnica do hospital. Até respiradores faltam e precisam ser emprestados de outras instituições. "O HPS hoje depende de esmolas", lamenta o presidente do Sindicato.

A denúncia e pedido de ações ao CREMERS foram definidos na última assembleia dos médicos municipários e municipalizados, que lutam por aumento salarial e plano de carreira. A proposta de abono de R$ 450,00, feita pela prefeitura, foi recusada. A resposta foi entregue formalmente, nesta segunda a secretários. A categoria reivindica remuneração seguindo o piso médico nacional, que é de R$ 7 mil, para 20 horas semanais. Hoje o piso de ingresso na prefeitura é de menos de R$ 1,5 mil para 30 horas semanais.

Segundo o presidente do SIMERS e da FENAM, a Capital tem hoje um médico para 133 habitantes, enquanto a OMS preconiza um a cada mil pessoas. "Não faltam médicos, apenas para trabalhar no SUS, graças à política dos gestores públicos de desvalorizar os profissionais que ganham menos que um auxiliar de enfermagem", explica Argollo.

O SIMERS cita que o município aumentou vencimentos de três carreiras de Nível Superior, que somam 184 servidores, e que geram por ano quase o dobro do gasto que o município terá pagansdo abono de R$ 450,00 a quase mil médicos. "Exigimos mesmo reconhecimento e respeito ante a responsabilidade que o médico tem na condução da saúde a população, além da complexidade de sua formação", defende Argollo.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1165 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)