Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

IML do Recife é interditado por falta de condições de trabalho


Foto: Cremepe
IML do Recife é interditado por falta de condições de trabalho
No relatório elaborado pela Comissão que realizou a fiscalização fica explícita a falta de condições de funcionamento do IML.


18/03/2011
O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) determinou, na última terça-feira (15), a interdição ética do setor de necropsia do Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife. Com a decisão, o Cremepe suspende a atividade médica no local, em caráter provisório ou definitivo, devido à falta de condições de trabalho adequadas, utilizadas para proteger a boa prática médica, o desrespeito ao direito à saúde do cidadão e aos direitos humanos.

A medida foi tomada após vistoria realizada no local, onde foram encontradas diversas irregularidades e desrespeito. Alguns corpos estavam no chão do IML.

No relatório, elaborado pela Comissão que realizou a fiscalização, fica explícita a precariedade nas condições de funcionamento do Instituto. Entre as irregularidades, está a falta de materiais básicos, macas insuficientes para acomodação dos corpos, infiltrações e precariedade para lidar com os cadáveres. Até que esses problemas sejam resolvidos, nenhum médico deverá realizar perícias naquele local.

"É preciso ter cuidados com o cadáver e a situação encontrada lá é terrível, repugnante, uma afronta aos direitos humanos", relatou o presidente do Cremepe, André Longo.

Com a interdição, os corpos que se encontram no IML de Recife estão sendo encaminhados para outro local até que a situação seja solucionada. Uma nova visita foi agendada para a próxima segunda-feira (21). Enquanto isso, o Governo já anunciou um mutirão para que soluções sejam apresentadas e para que os principais problemas sejam corrigidos e o Instituto volte a funcionar o mais rápido possível.

"Em respeito ao interesse público superior materializado no direito das famílias sepultarem dignamente seus entes queridos e na necessidade das instruções das perícias, o Governo e o Cremepe estabeleceram conversações a respeito das questões colocadas relativas ao Instituto de Medicina Legal (IML), a fim de resolver a situação com ações de curto, médio e longo prazo," divulgou em nota oficial o Cremepe.

Em entrevista à Rádio FENAM , o presidente do Cremepe, André Longo, fez um panorama da situação e apontou os principais motivos da interdição.

Veja o relatório da fiscalização


Fonte : Taciana Giesel, com edição de Denise Teixeira



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 16890 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)