Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

PA: plantonistas da Santa Casa, HC e Abelardo Santos mantém paralisação



19/05/2011
Indignação. Este foi o sentimento que reinou entre os médicos plantonistas da Santa Casa de Misericórdia do Pará, do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna e do Hospital Abelardo Santos diante da proposta do Governo de Estado feita no dia 16, em reunião na Secretaria de Estado de Administração (Sead). A proposta foi analisada na manhã da última terça-feira (17), em assembleia realizada na frente da Santa Casa de Misericórdia, onde os médicos se concentraram desde às 7 horas. Por unanimidade, eles optaram por manter a paralisação de 24h já agendada e rejeitar os valores oferecidos pelo governo. O que os médicos desejam é a isonomia do pagamento do plantão extra de 12 horas do Gaspar Vianna e Santa Casa com o do Abelardo Santos, que hoje é de R$ 1 mil líquidos.

Para a neonatologista Leda Sousa, que trabalha na Santa Casa de Misericórdia, é 'absurdo' que sejam descobertos salários fantasmas de R$ 15 mil na máquina estadual e que não se pague aos médicos um valor digno pelo seu trabalho. 'Essa situação é vergonhosa. Gostaria de saber se os políticos, por exemplo, trabalham tanto quanto os médicos para ganhar o que a gente ganha. Certamente, não. É preciso corrigir os problemas e não punir quem trabalha dignamente', destacou.

O mesmo sentimento foi compartilhado pelo obstetra Ademar Morais, que trabalha na Santa Casa e no Abelardo Santos. 'A proposta do Governo do Estado é uma proposta indecente. Temos que parar de discutir apenas a questão do plantão extra e buscar melhorar a saúde como um todo', completou.

Além da paralisação por 24 horas, mantendo os 30% dos serviços em consonância com a legislação vigente, os médicos plantonistas deliberaram que, caso não sejam atendidas as reivindicações da categoria, suspenderão os plantões extras em junho. A categoria não descarta greve por tempo indeterminado, caso não prosperem as negociações com o Governo do Estado.

O movimento dos médicos plantonistas envolve basicamente profissionais de neonatologia, pediatria, obstetrícia e clínica médica (do Hospital Abelardo Santos). De acordo com levantamento do Sindmepa, na Santa Casa 80% dos médicos fazem plantão extra (além da carga normal de trabalho, incluindo o plantão normal), e no Abelardo Santos e Hospital de Clínicas 20% dos médicos dão plantão extra. Como informou João Gouveia, da diretoria do Sindmepa, há cerca de quatro meses os médicos plantonistas vêm buscando acertar com a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) a isonomia salarial no plantão extra a partir do valor pago pelo Hospital Abelardo Santos. 'A questão do plantão é apenas o problema do momento, mas é preciso que o Governo do Estado repense a saúde como um todo. Agora mesmo, eles estão querendo comprar um hospital em Belém, mas esquecem do maior patrimônio, que é o profissional da área da saúde', observou.

Fonte : Ascom/Sindmepa e Diário do Pará



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1051 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)