Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: sobreaviso clínico depende de aporte da Prefeitura de Santiago



01/09/2011
A composição do sobreaviso do plantão clínico no Hospital de Caridade de Santiago (RS) depende de um aporte de R$ 4 mil mensais da Prefeitura, até o final do ano. Em audiência convocada pelo Ministério Público Estadual, na tarde do dia 31, seis médicos do Corpo Clínico comprometeram-se a compor a escala semanal paliativamente, desde que recebam R$ 1 mil por dia, abrindo mão da produtividade. A casa de saúde aceitou pagar R$ 22 mil/mês, e a Câmara de Vereadores garantiu outros R$ 4 mil/mês. O Executivo, inicialmente, negou aplicar cota igual a dos parlamentares. No entanto, deve dar resposta definitiva ao promotor Luiz Barbará na sexta-feira, dia 2 de setembro. O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul (SIMERS) esteve presente negociando em nome da categoria.

"Cabe agora ao gestor municipal fazer a sua parte, pois todos os demais já cederam", relatou Barbará. "Se a resposta for negativa, vamos ajuizar ação judicial, pois a comunidade tem o direito de receber assistência". O diretor sindical Edson Prado Machado, ressaltou a disposição dos clínicos em colaborar. "O plantão é de sobreaviso, mas equivale ao presencial, dada a ausência de retaguarda de rotineiros, e o valor de R$ 41,70 por hora proposto, neste sentido, situa-se abaixo do mercado. Nunca houve recusa em atender, apenas impossibilidade dos colegas em cumprir a carga, tendo em vista outros vínculos". Outras tentativas do HCS em contratar internistas também fracassaram em virtude dos baixos valores ofertados ou do anúncio não especificar a remuneração.

O Hospital de Caridade garante o plantão clínico de sobreaviso somente até segunda-feira, às 7h. Se a Prefeitura assegurar os R$ 4 mil restantes, a promotoria fará um aditivo a Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado dois meses atrás. Neste novo documento, uma vez assinado, constaria que o compromisso dos seis médicos do Corpo Clínico termina em 31 de dezembro. Nos quatro meses que faltam de 2011, a casa de saúde assumiria a tarefa de contratar substitutos para a função, via CLT.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 774 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)