Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

SC: médicos vão pedir ao prefeito agilidade na implantação do plano de cargos e salários em Balneário Camboriú


Foto:
SC: médicos vão pedir ao prefeito agilidade na implantação do plano de cargos e salários em Balneário Camboriú
O dirigente confirma que foram realizadas várias tentativas de contato com o prefeito e para conseguir informações sobre o encaminhamento do PCCS.


19/09/2011
Cansados de esperar que prefeitura apresente o conteúdo do plano de carreira, cargos e salários (PCCS) e o prazo para implantação da nova proposta de atuação e remuneração do servidores municipais, médicos de Balneário Camboriú decidiram em reunião na última quinta-feira (15/09) solicitar uma audiência com o prefeito Edson Renato Dias.

"O que frustrou os médicos que participaram do encontro coordenado pelos diretores do Sindicato dos Médicos de Santa Catarina (SIMESC), foi a ausência de um representante da prefeitura, solicitada exaustivamente pela categoria, para que prestasse esclarecimentos. Formamos uma comissão e iremos agendar uma reunião com o prefeito", comentou o presidente da Regional Balneário Camboriú do SIMESC, Pedro Alves Cabral Filho.

O dirigente confirma que foram realizadas várias tentativas de contato com o prefeito e para conseguir informações sobre o encaminhamento do PCCS. "Todos os prazos que eles nos pediram para avaliar o plano, verificar o impacto financeiro na folha de pagamento foram dados", acrescentou.

As conversas com a prefeitura de Balneário Camboriú a respeito do PCCS iniciaram em novembro do ano passado. "Médicos e dentistas - que se alinharam conosco nessa luta por melhores condições de salário e trabalho, analisam essa situação como descaso. É grande a insatisfação com o silêncio da prefeitura", garante Pedro.

Sobre paralisação, o presidente da Regional do SIMESC afirmou que a proposta é primeiro conversar com o prefeito Edson Dias. "Apesar de termos esgotado todos os prazos, não sabemos como foi formatado o PCCS. Seria precipitado convocar a categoria à greve. Vamos ao prefeito, nossa última tentativa de conhecermos o plano", afirma.

A diferença de salários de uma cidade para outra é desproporcional. Atualmente médicos em Balneário Camboriú recebem R$ 1.600 e os profissionais de Itajaí, por exemplo, quase o triplo.
Fonte : SIMESC



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1031 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)