Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Presidente da FENAM considera um avanço aprovação da PEC que cria carreira de estado para médicos pela CCJ


Foto: Fenam
Presidente da FENAM considera um avanço aprovação da PEC que cria carreira de estado para médicos pela CCJ
Cid Carvalhaes: "É sem dúvida um avanço, vamos esperar as demais tramitações do projeto e esperamos que ele seja aprovado o mais rápido possível"


19/10/2011
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quarta-feira a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 454/09, que cria a carreira de médico nos serviços públicos federal, estadual e municipal e estabelece a remuneração inicial da categoria em R$ 15.187,00, semelhante à de juízes e promotores.

Para o presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, a decisão da Comissão demonstra que a Câmara dos Deputados está começando a ter mais sensibilidade social pela saúde. "Quando a CCJ apoia um salário justo e uma carreira para os médicos ela começa a dar mostras que reconhece que realmente o trabalho do médico que é praticado hoje no País tem um salário irrisório e de certa forma representa uma violência contra a dignidade profissional," apontou o dirigente.

O objetivo da proposta, de autoria dos deputados do DEM Eleuses Paiva (SP) e Ronaldo Caiado (GO), é criar uma carreira de estado para os médicos. O relator, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), apresentou parecer favorável à proposta. Ele rebateu o argumento do voto em separado do deputado Luiz Couto (PT-PB) segundo o qual o texto interfere em pressupostos constitucionais ligados à competência legislativa de estados e municípios.

De acordo com a PEC, a ascensão funcional do médico de estado será realizada alternadamente pelos critérios de merecimento e antiguidade, considerando o aperfeiçoamento profissional, conforme normas estabelecidas pela Associação Médica Brasileira e pelo Conselho Federal de Medicina.

"Para se atingir níveis melhores na saúde do País, é preciso que o Estado apresente políticas consistentes para a reformulação das estruturas físicas e para a organização de um plano de carreira, cargos e salários que esteja à altura da grandeza da ação dos profissionais de Medicina", argumentou o relator.

Para ele, ao criar um piso salarial para os médicos, a PEC dá o primeiro passo para que também outros profissionais brasileiros sejam devidamente remunerados.

Tramitação
A proposta será examinada por uma comissão especial e, depois, votada em dois turnos pelo Plenário, sujeita à aprovação de no mínimo 3/5 dos 513 deputados.

"É sem dúvida um avanço, vamos esperar as demais tramitações do projeto e esperamos que ele seja aprovado o mais rápido possível. Com isso, começaremos a trabalhar com uma referência mais sólida fazendo com que o médico possa ter fixação nos mais diversos locais. O grande beneficiário será o cidadão que será melhor atendido," finalizou Carvalhaes.
Fonte : Agência Câmara



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 3375 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)