Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RN: prefeitura descumpre acordo com médicos



22/12/2011
A Prefeitura de Natal não cumpriu o calendário de pagamento, conforme acordo fechado com a Cooperativa dos Médicos do Rio Grande do Norte, e o atendimento de alta e média complexidades continuará suspenso para os pacientes do Sistema Único de Saúde, nas unidades contratadas pelo SUS. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (21), diante do descumprimento do acordo, que previa o escalonamento da dívida de R$ 4,2 milhões em três parcelas. Pelo o acordo, a primeira deveria ter sido paga ontem, mas a prefeitura não fez o depósito alegando que bloqueio de recursos, segundo afirmou o presidente da Coopmed-RN, Fernando Pinto.

"Desde a semana passada, somente as cirurgias de emergência estavam sendo realizadas por médicos cooperados. Nesta semana, com a adesão à paralisação da Cooperativa de Médicos Anestesiologistas do Estado (Coopanest), todos os tipos de cirurgias não estão sendo realizadas", informou Fernando.

A reportagem tentou entrar em contato com a secretária municipal de Saúde, Maria do Perpétuo Socorro, para esclarecer os motivos do bloqueio nas contas da Prefeitura, mas ela não foi encontrada. A proposta da Prefeitura incluía o pagamento dos R$ 4,2 milhões em três parcelas, sendo a primeira no dia 20 de dezembro, a segunda em 3 de janeiro e a última dia 12 de janeiro de 2012.

Os médicos plantonistas das unidades municipais de saúde estão sem receber repasses dos meses de outubro e novembro. "O atraso de R$ 4,2 milhões também envolve o pagamento dos médicos plantonistas de algumas unidades de saúde da capital, entre elas, Sandra Celeste, Maternidade Leide Morais, Hospital dos Pescadores e Maternidade das Quintas", explicou Fernando Pinto. A crise decorrente da dívida da prefeitura atinge diretamente a formação dos plantões dessas unidades.

Enquanto médicos e poder público não chegam a um acordo, quem sofre é a população, especialmente a mais pobre, que não tem condições de contratar um plano de saúde. Na manhã de ontem, Cássia de Oliveira levou pela segunda vez o marido Fernando Junior, com sintomas de febre, dor cabeça e vômitos ao Hospital dos Pescadores, nas Rocas. Após a realização do exame de sangue, o paciente teve que ficar do lado de fora da unidade, no chão, até as 14h. "Após muita reclamação, trouxeram uma maca para o meu marido. Sobre a demora no atendimento, nos informaram que só havia um médico atendendo às urgências, devido a greve", lamentou Cassia.

ORTOPEDIA
Sobre a greve dos médicos ortopedistas do Hospital Regional Deoclécio Marques em Parnamirim, o secretário estadual de Saúde, Domício Arruda, informou que o pagamento referente aos dois meses em atraso, devem ser pagos até a próxima sexta-feira. Segundo o secretário, um contrato emergencial de seis meses será firmado entre o Estado e os médicos ortopedistas, pois a renovação do contrato não pode ser renovado porque a secretaria está realizando o pagamento em atraso em forma de indenização.
Fonte : SINDMED-RN



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1015 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)