Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: primeira semana do ano registra superlotação em emergências da Capital



09/01/2012
Sai ano, entra ano e o problema se mantém. A primeira semana de 2012 começa com alta superlotação em emergências dos principais hospitais que atendem SUS em Porto Alegre. As situações mais críticas são verificadas nos hospitais Conceição e Clínicas, as maiores da Capoital e que recebem grande demanda da Região Metropolitana. No Clínicas, o setor com 49 vagas chegou a ter 146 pacientes internados, 197% acima da capacidade.

A Capital perdeu entre 1993 e 2011 cerca de 3,2 mil vagas de internação pelo SUS. Eram 8,5 mil leitos credenciados em 1993 e o número caiu para 5,3 mil. O Sindicato Médico do RS (SIMERS) vem alertando que a reabertura de vagas em volume adequado é crucial para garantir condições mais humanas aos cuidados dos enfermos.

O SIMERS alerta que a solução se arrasta, enquanto se registra picos de mais de 200% de lotação acima da estrutura de leitos das unidades, situação frequente em 2011. Entre as unidades que poderão dar suporte e ajudarão a amenizar o sofrimento, estão os dois hospitais que pertenciam à ULBRA e que ainda não forma reativados. O Luterano deve retomar o atendimento, sob gestão do Clínicas, ainda em janeiro, segundo a direção da instituição, com abertura de 52 vagas, sendo 32 para pacientes clínicos e as demais para álcool e drogas.

"O número é ínfimo, mas reforçará uma área que é carente e que dará suporte a casos de doentes crônicos e que acabam permanecendo nas emergências por falta de vagas de internação", cita a vice-presidente Maria Rita de Assis Brasil. Já o Independência, com foco em traumato-ortopedia, só deve retomar a assistência em julho, segundo nova promessa da prefeitura. O Hospital Divina Providência firmou o contrato para fazer a gestão. Serão pelo menos cem leitos, sendo dez de UTI adulta.

O acompanhamento diário que o Sindicato faz das emergências do SUS mostra que a média de ocupação nos primeiros cinco dias úteis do ano (entre 2 e 6) foi de 116 pacientes para 50 leitos no Conceição (132% acima da capacidade), de 118% no Clínicas (140% acima), 25 doentes para 15 vagas no São Lucas (66% acima da estrutura), e 19 internados no Hospital Santa Clara do Complexo da Santa Casa (58% acima da capacidade).

"Já tivemos índices mais altos de superlotação, mas isso pode voltar a qualquer momento. O que preocupa é o fato de que as equipes médicas se mantêm com o mesmo número de profissionais, mesmo que há pelo menos o dobro de pacientes", contrasta Maria Rita.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 793 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)