Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RN: pacientes correm risco de morrer por falta de anestésicos



13/01/2012
Pacientes correm o risco de morrer no Hospital Walfredo Gurgel, localizado em Natal (RN), por falta de anestésicos. Falta desde a substância anestésica comum usada para realizar procedimentos simples até as mais completas, utilizadas em cirurgia geral, segundo denúncia de médicos que atuam na unidade, que reclamam do que chamam de "desabastecimento completo". Em contato com a reportagem, o secretário estadual de saúde, Domício Arruda, admitiu a falta de alguns tipos de anestésicos, mas disse que o problema seria solucionado ainda ontem com a transferência das substâncias do estoque de outras unidades.

A principal justificativa para a falta de materiais na unidade está na dívida na ordem de R$ 50 milhões não pagos a empresas fornecedoras, referente a alguns meses de 2010. Sem pagamento, não há material. Segundo Domício, do ano passado ficou apenas o mês de dezembro para ser pago em 2012, com a abertura do orçamento prevista para 15 de fevereiro. A reportagem apurou no hospital a inadimplência da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) junto às empresas responsáveis pelo fornecimento dos materiais e substâncias usadas nos procedimentos hospitalares.

O secretário admitiu, ainda, que o repasse da secretaria para o hospital, relativo a dezembro, está em atraso. O dinheiro, cerca de R$ 1 milhão, é utilizado também em compras emergenciais. "O repasse de dezembro será pago com a abertura do orçamento em fevereiro", diz o secretário. A ausência dos anestésicos também tem ocorrido, segundo Domício, devido ao aumento da demanda no hospital em dezembro e início de janeiro por causa da greve dos profissionais que integram a Cooperativa dos Médicos do Rio Grande do Norte (Coopmed/RN) e paralisaram suas atividades no dia 1º de dezembro de 2011.

Tomografia

Além dos anestésicos, o chefe do setor de neurocirurgia do Walfredo, Luciano Araújo, garante que faltam também os filmes usados para revelar tomografia, exame essencial no pré e pós-operatório dos procedimentos neurológicos. "Anestesia é imprenscindível emum hospital, principalmente no maior do estado. O estado de saúde de muitos pacientes pode se complicar ainda mais se os anestésicos não forem adquiridos logo, inclusive alguns correm risco de morrer ou ficar com sequelas irreversíveis", apela o médico.

Na análise de Luciano Araújo, caso ocorra no estado nos próximos dias um acidente de sérias proporções, a equipe terá dificuldade em atender os pacientes porque o hospital está completamente desabastecido. "Nunca vi uma situação dessa aqui no Walfredo", complementa o médico que atua na unidade desde que o hospital foi criado no início da década de 1970. O médico garante que os setores de cirurgia geral, neurocirurgia e ortopedia são os mais deficitários do hospital porque recebem toda a demanda do estado.
Fonte : DN online



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 877 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)