Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

SC: médicos cancelarão consultas para reforçar atendimento nas UPAs no dia 21 de março



07/03/2012
Em assembleia realizada na noite desta quarta-feira (07), os médicos da prefeitura de Florianópolis decidiram suspender os atendimentos nos mais de 50 postos de saúde do município no dia 21 de março (quarta-feira). Nesta data os médicos reforçarão o atendimento nas Unidades Pronto Atendimento (UPAS).

"A decisão foi tomada porque na tarde da paralisação em fevereiro, houve uma sobrecarga de atendimento nas UPAs. A nossa mobilização não é para prejudicar a população que já sofre pela falta de médicos. Essa atividade vai mostrar que mais médicos na rede municipal vai agilizar o atendimento", diz Fábio Schneider, vice-diretor clínico da secretaria municipal de Saúde.

A paralisação dos médicos será a terceira em menos de um mês. A categoria negocia a suspensão de desconto ilegal na gratificação do Programa de Saúde da Família (PSF) e o reajuste de 15% na mesma gratificação. A conversa iniciou em maio do ano passado na secretaria municipal de Saúde e hoje envolve as secretarias de Governo, Administração, Planejamento, Finanças, Saúde e Procuradoria Geral do município.

No dia 21, os médicos encerram as atividades com uma manifestação em frente à secretaria municipal de Saúde.

Panfletagem e reunião
Os médicos da prefeitura de Florianópolis, que suspenderam o atendimento na tarde desta quarta-feira (07) nos mais de 50 postos de saúde, realizaram uma panfletagem em frente à sede da administração municipal. O local foi o escolhido porque enquanto eles apresentavam à população os motivos da segunda suspensão de atividades em duas semanas, representantes do Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina (SIMESC) e dirigentes do corpo clínico realizavam mais uma rodada de negociações com os secretários municipais.

"Entregamos à população uma carta explicando os motivos da suspensão dos nossos trabalhos e alertando para a falta de médicos na rede municipal, um problema que pode estar acontecendo porque o salário na prefeitura não é atrativo", afirma o secretário geral do SIMESC, César Ferraresi.

A reunião teve a participação dos secretários de Governo (Gean Loureiro), de Administração (Sandro Ricardo Fernandes), de Finanças (Augusto Céser Hinckel) e o Procurador do município (Jaime de Souza) e Saúde (Clécio Antônio Espezim). Em relação à suspensão do desconto ilegal, ficou decidido que o assessor jurídico do SIMESC, Ângelo Knissi discutirá com o procurador a nova redação do decreto 441/98, que mal interpretado, pode estar provocando o desconto ilegal.
Sobre o reajuste na gratificação, os secretários pediram para aguardar as negociações da data base dos servidores municipais.
Fonte : SIMESC



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 929 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)