Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Florianópolis: postos de saúde sem médicos nesta terça e quarta-feira


Foto: Foto: Carla Cavalheiro/Divulgação SIMESC
Florianópolis: postos de saúde sem médicos nesta terça e quarta-feira
Atendimentos de urgência e emergência serão mantidos


14/05/2012
Os médicos da prefeitura de Florianópolis suspenderão na terça e quarta-feira (15/16) os atendimentos nos mais de 50 postos de saúde da capital. O movimento é para pressionar o prefeito municipal a assinar o decreto que suspende o desconto ilegal na gratificação do Programa de Saúde da Família. Serão mantidos os atendimentos nas UPAs norte e sul, local para onde os médicos irão se deslocar para realizar ações educativas e conversar com os pacientes sobre os motivos do movimento.


"Não podemos dizer que esse movimento irá prejudicar a população de Florianópolis porque ela está sendo prejudicada há algum tempo pela falta de médicos. Em um ano e meio foram mais de 100 médicos desligados da rede municipal por causa do desconto na gratificação do PSF e pelos baixos salários. Atualmente é mais atraente financeiramente atravessar a ponte e trabalhar na prefeitura de São José", afirma o presidente do Sindicato dos Médicos (SIMESC), Cyro Soncini.


De acordo com o secretário geral do SIMESC e que também é médico da prefeitura de Florianópolis, a insatisfação dos profissionais é grande. "Estamos falando somente da condição financeira. Mas é preciso lembrar que os médicos que ainda estão vinculados à prefeitura estão tendo sobrecarga de trabalho. Alguém tem que suprir a demanda e evitar que os pacientes fiquem sem atendimento. Outra situação relevante é a quebra do vínculo médico-paciente. Quem inicia um tratamento hoje não sabe se na consulta de retorno ainda poderá continuar com o mesmo médico", acrescenta.


O decreto que suspende o desconto ilegal dos médicos do PSF foi elaborado em conjunto com os gestores municipais e iniciou a tramitação em 22 de março. Estiveram envolvidos no processo de discussão do assunto os secretários e representantes das secretaris de Saúde, de Governo, de Administração, de Finanças, de Planejamento e a procuradoria geral. "Não é possível compreender porque esse documento ainda não chegou ao prefeito", indaga Ferraresi.


Atividades

Terça-feira: suspensão de atendimento das consultas nos postos de saúde (as demais atividades dos postos estarão funcionando). Na parte da manhã os médicos irão reforçar o atendimento nas UPAs norte e sul. À tarde, a partir das 16h, os médicos realizam manifestação em frente à Câmara de Vereadores. A proposta é conversar com os representantes do legislativo sobre as questões que envolvem a saúde municipal.


Quarta-feira: suspensão de atendimento das consultas nos postos de saúde (as demais atividades dos postos estarão funcionando). Na parte da manhã os médicos irão reforçar o atendimento nas UPAs norte e sul. À tarde, a partir das 14h, realizam panfletagem no centro da capital (concentração em frente ao Senadinho, cruzamento da Felipe Schmidt e Deodoro). Às 16h, assembleia geral dos médicos no hotel Floph para decidir os rumos do movimento.
Fonte : SIMESC



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 948 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)