Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

AL:"Transferir o IML para o Hospital Sanatório seria um desrespeito"



29/06/2012
Em entrevista à reportagem do jornal CadaMinuto, o presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sindmed/AL), Wellington Galvão, mostrou-se contrário à transferência do Instituto Médico Legal (IML) de Maceió para o antigo necrotério do Hospital Sanatório. "Seria um desrespeito aos pacientes e funcionários daquela unidade hospitalar. Não se deve misturar os trabalhos de salvar vidas e cuidar de cadáveres num mesmo local", disse.

O médico disse ainda que a grande quantidade de material contaminado poderia colocar em risco os pacientes daquela unidade hospitalar. "Um IML deve funcionar num local isolado e exclusivo, principalmente pela presença de material contaminado, o que poderia colocar em risco as pessoas que lutam pela vida. Sem contar com o clima pesado em que se transformaria aquele local. Mas, essa é só a minha opinião, pois quem decidirá será o CRM e a Vigilância Sanitária", frisou.

Wellington Galvão também comentou sobre a greve deflagrada pelos médicos legistas no último dia 21, alegando que a situação do Instituto Médico Legal (IML) de Maceió é desumana. O médico assegurou ainda que a precariedade na estrutura e a falta de condições de trabalho são as maiores dificuldades encontradas pela categoria.

Ao referir-se aos profissionais de Arapiraca, que retornaram aos trabalhos na tarde desta quarta-feira (27), o médico disse que as negociações com o governo do Estado foram conduzidas com bastante equilíbrio e que, no final, o governo promoveu algumas melhorias que permitiram que os médicos legistas retomassem normalmente às suas atividades. "O Estado ofereceu as condições mínimas para a categoria retornar ao trabalho. Mas vale salientar que ainda faltam alguns ajustes como a contratação de uma empresa de segurança e a instalação de aparelho de Raio X que, deverá estar sendo doado pelo Ministério da Justiça.

"Por outro lado estamos em negociações avançadas com a Secretaria de Gestão Pública para chegarmos a um entendimento sobre os salários da categoria. Nos próximos 60 dias estaremos apresentando um projeto para a criação de carreira pronta, pois isso deverá avançar na busca do piso da categoria", alegou.

Galvão disse ainda que, na última terça-feira, o Sindicato foi notificado judicialmente sobre a ilegalidade da greve e, em seguida, entrou com um agravo regimental. "Temos a consciência que a missão do judiciário é a defesa da sociedade e que reivindicar melhores condições de trabalho é um direito que cabe a qualquer categoria. Sei do bom senso dos desembargadores e acreditamos que essa lamentável situação seja resolvida em breve", finalizou o presidente do Sinmed.
Fonte : jornal CadaMinuto



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 818 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)