Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: entidades cobram contratação de médicos e rigor para abrir UTIs



13/08/2012
As três principais entidades da categoria médica no RS - Sindicato Médico (SIMERS), Conselho Regional de Medicina (CREMERS) e Associação Médica (AMRIGS) - lamentaram a morte de dois bebês em Bagé e cobraram condições estruturais para o funcionamento de UTIs neonatais no Estado. A garantia de condições para a contratação de médicos é apontada como exigência número 1 para permitir que municípios e hospitais anunciem a instalação dos serviços. Os bebês morreram em Bagé, após serem transferidos do hospital de Canguçu, onde uma UTI nova e com dez leitos está fechada desde janeiro porque não foram contratados médicos. A unidade foi montada para atender o SUS.

Em nota oficial, SIMERS, CREMERS e AMRIGS qualificaram de "mortes evitáveis" o episódio das crianças, que enfrentaram longa espera por leitos. Sem poder ter o atendimento adequado em Canguçu, a peregrinação também ocorreu para que a Secretaria Estadual da Saúde conseguisse leitos em outros locais. Hoje a oferta de vagas não atende as necessidades e são comuns os casos de gestantes e bebês que precisam ser removidos a longas distâncias, o que eleva os riscos e podem comprometer a chance de sobrevivência.

As entidades ressaltam que mesmo com todo o esforço de especialistas em Canguçu e Bagé não foi possível reverter os óbitos. Na manifestação, as organizações, que alertam há anos para as carências do SUS e existência de estruturas que funcionam sem o mínimo exigido para a assistência adequada dos pacientes - o que coloca vidas em risco, elencaram as exigências para que não mais crianças sigam o mesmo destino.
SIMERS, CREMERS e AMRIGS exigem que não seja autorizada a construção de UTIs (em todas as faixas - neonatal, pediátrica e adulta) sem a garantia de contratação de médicos e demais profissionais com a capacitação adequada.

"Cabe aos gestores do SUS exigir que municípios e hospitais comprovem a existência de condições físicas, técnicas e de contratação de pessoal capacitado antes de promover gastos com estruturas que não poderão funcionar, iludindo pacientes e causando danos irreparáveis", exige a nota. Também advertem que o RS tem o dobro do número de médicos de que a população precisa e que basta criar condições de fazê-los atuar na saúde pública.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA OFICIAL:

"MORTES EVITÁVEIS"

Diante da morte de dois recém-nascidos na Santa Casa de Bagé, apesar dos esforços dos médicos; após transferência dos bebês de Canguçu porque a UTI neonatal da cidade está fechada há sete meses por não terem sido contratados médicos, as entidades abaixo assinadas declaram:
1. Solidariedade aos pais das crianças e inconformidade devido à extrema carência de leitos neonatais no Estado para salvar a vida de bebês.
2. A construção de UTIs deve prever, com antecedência, a contratação de profissionais com capacitação necessária.
3. Cabe aos gestores do SUS exigir que municípios e hospitais comprovem a existência de condições físicas, técnicas e a contratação de pessoal capacitado antes de promover gastos com estruturas que não poderão funcionar, iludindo pacientes e causando danos irreparáveis.
O Estado, segundo o próprio Ministério da Saúde, tem o dobro do número de médicos de que necessita. O que falta hoje é contratar esses médicos para que possam atuar no SUS.

Porto Alegre, 11 de agosto de 2012.

Dr. Rogério Wolf de Aguiar (presidente do CREMERS)
Dr. Dirceu Francisco de Araújo Rodrigues (presidente da AMRIGS)
Dr. Paulo de Argollo Mendes (presidente do SIMERS)
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 845 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)