Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

SC: juiz determina suspensão do contrato do SAMU



16/08/2012
O juiz Luiz Antônio Zanini Fornerolli, da Vara da Fazenda Pública de Florianópolis deferiu liminar que suspende a transferência do gerenciamento, operacionalização e execução das atividades de atendimento pré-hospitalar móvel e regulação, do Serviço Móvel de Urgência (SAMU). Desde o dia 1º de agosto, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) assumiu a gestão do serviço.

A liminar foi concedida após o Ministério Público do Estado de Santa Catarina (MPSC) ter proposto ação cautelar preparatória de ação civil pública contra o Estado e a SPDM, argumentando que a descentralização do SAMU viola os preceitos normativos da Constituição Federal.

De acordo com Fornerolli, um dos pontos principais para a liminar que pede o retorno do gerenciamento do SAMU ao Estado a partir de 20 de agosto de 2012, está a questão da complementação dos serviços de saúde. "O contrato firmado entre o Estado e a organização social não tem por fim a complementação dos serviços públicos prestados até então, mas sim a integral transferência desses serviços a uma entidade privada, o que não encontra amparo na Constituição Federal".

No despacho, o juiz cita que o contrato de gestão ora impugnado, permite que a SPDM assuma a responsabilidade de contratação e pagamento dos profissionais da saúde sem qualquer vínculo empregatício com o Estado, "afastando, por via de consequência, a imperiosa necessidade de concurso público", conforme prevê o artigo 37, inciso II da Constituição.

O juiz Luiz Fornerolli, afirmou em seu despacho que o contrato entre o Estado e a SPDM podem causar riscos ao patrimônio público tendo em vista que "a organização social absorve atividades exercidas pelo Estado, mediante a utilização do patrimônio público e dos respectivos servidores públicos, é nítido que, sob a roupagem de entidade privada, o real objetivo é o de mascarar uma situação que, sob todos os aspectos, estaria sujeita ao direito público".

Para o juiz, o Estado sempre foi competente para realizar, dentro do que prevê a lei, o serviço do SAMU. "O Estado de Santa Catarina antes da edição deste contrato, desempenhava a prestação do serviço de urgências médicas em ambiente extra-hospitalar com eficiência e eficácia. Aliás, esse serviço era prestado antecedentemente por unidades móveis do Corpo de Bombeiros, complementado e melhorado com a instituição do SAMU. Ambos braços destacados do Estado, que imbuídos de sua atividade-fim, desempenhavam suas funções institucionais plenamente e com satisfatoriedade", afirma o juiz.

Pela imprensa, o governo do Estado informa que não tem condições técnicas para atender a determinação judicial de reassumir o gerenciamento do SAMU. A Procuradoria Geral do Estado deve recorrer da decisão do juiz Fornerolli.

Leia a liminar

Orientações aos médicos contratados pela SPDM

A Assessoria Jurídica do SIMESC orienta que os médicos contratados pela SPDM cumpram as escalas de trabalho pré-definidas tendo em vista que os contratos de trabalho firmados estão em vigor e que a decisão é passível de recurso tanto pela organização social quanto pelo Estado.

Acompanhe as informações no site do Sindicato www.simesc.org.br e em caso de dúvidas, entre em contato com a Assessoria Jurídica – de segunda à sexta-feira, das 14 às 18h, telefones (48) 3223 1060 e 0800644 1060.



Fonte : SIMESC



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1328 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)