Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: médica é agredida na emergência do hospital de Viamão



20/08/2012
Mais um caso de violência foi registrado na tarde desta sexta-feira (17) na emergência do Instituto de Cardiologia Hospital de Viamão. Uma mulher de 30 anos agrediu e ameaçou de morte uma médica. Após ter sido atendida, a paciente voltou ao hospital e a segurança deixou com que ela retornasse ao interior da unidade para falar com a médica. Descontrolada, a paciente puxou os cabelos e deu tapas no rosto da clínica geral, que foi dar suporte para a colega. A Brigada Militar e o Sindicato Médico do RS (SIMERS) foram chamados. Ninguém da administração da instituição compareceu ao local para dar assistência as profissionais.

O diretor do SIMERS, Nauro Aguiar, destacou que o caso revela a segurança ineficiente e o desamparo das médicas, que além do constrangimento sofrido, foram penalizadas com o "abandono" da administração do hospital.

"Isto reflete a incompetência dos gestores em proporcionar uma assistência de saúde adequada à população e quem sofre diretamente o resultado disto é o médico. O clima de tensão é reflexo da superlotação das emergências e das falhas do sistema de saúde,", afirmou Aguiar. O SIMERS notificará extrajudicialmente a administração do Hospital por falta de segurança e condições de trabalho, e de omissão da instituição no caso.

O caso
Muito abalada, a médica contou que a paciente chegou ao hospital às 12h se queixando de metrorragia (sangramento vaginal). Passou pela triagem da emergência às 14h30min e foi atendida por uma clínica geral às 14h40min, já que o hospital não tem ginecologista de plantão. Descartada qualquer possibilidade de gravidez e verificado que os sinais da paciente estavam estáveis, a médica prescreveu uma medicação injetável para dor, que a paciente se recusou a tomar. Então ela foi liberada, com prescrição para remédio para dor e indicação para atendimento no posto de saúde.
Cerca de meia hora depois de ter deixado o hospital, a mulher voltou, argumentando que não concordava com o atendimento e que queria falar novamente com a médica. A segurança deixou a paciente entrar e foi quando ocorreu a agressão envolvendo as duas clínicas gerais de plantão. Além delas, mais dois pediatras, um cirurgião e um anestesista integravam a equipe.

Violência
No dia 26 de junho deste ano, outro caso de violência foi registrado no mesmo hospital. Depois de esperar por quase 13 horas por atendimento na emergência do Hospital de Viamão, uma jovem de 18 anos perdeu o controle e apedrejou a recepção da instituição e agrediu dois seguranças.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 788 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)