Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Ortopedistas farão campanha para coibir combinação de álcool e direção



12/09/2012


Preocupada com a triste realidade do transito brasileiro, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT – está em campanha permanente para reduzir as mais de 42.000 mortes e centenas de milhares de feridos decorrentes de acidentes de trânsitos que ocorrem a cada ano.

O presidente da SBOT, Geraldo Motta, lembra que a ONU lançou um plano de ação com validade para 10 anos para reduzir o índice de mortalidade no trânsito em 50%, já que os acidentes são a principal causa de morte prematura e de ferimentos incapacitantes na população de jovens do mundo. O Governo brasileiro aderiu a este plano de ação e os Ministérios da Saúde e das Cidades lançaram, no dia 11 de maio de 2011, o Pacto Nacional pela Redução dos Acidentes no Trânsito – Pacto pela Vida.

Até 70% dos serviços de emergência do país são ocupados por vitimas de acidentes de transito. As fatalidades e lesões do trânsito têm um alto preço físico, emocional, social e financeiro que atinge as vítimas, familiares e pessoas próximas. Muitos pacientes ficam com sequelas permanentes com alto impacto no restante de sua vida e os custos dos acidentes de trânsito representam cerca de 2% do PIB do Brasil.
Segundo Motta, cada um desses pacientes tem uma história, representa um drama pessoal e familiar. "É triste constatarmos que um acidente que causa uma amputação ou deixa um jovem paralisado para o resto da vida poderia ter sido facilmente evitado".

O tema neste ano é a correlação do álcool com direção, que é responsável por grande número de acidentes graves. A SBOT defende a tolerância zero ao consumo de álcool e direção e que a legislação deva permitir a identificação da embriaguez por outros meios além da detecção pelo bafômetro e exame de sangue. O presidente da SBOT enfatiza a necessidade de fiscalização e em caso de comprovação de infração haja emprego firme da legislação.

O coordenador de ações institucionais da SBOT, Edilson Forlin, afirma que o interesse dos ortopedistas é a saúde da população. "Está comprovado que somente com legislação rígida, fiscalização e responsabilização cível e criminal se consegue inibir o uso de álcool associado à direção. Isto reverde em segurança ao cidadão e a sociedade", completa.

A campanha constará de ampla divulgação pelos ortopedistas dos riscos, efeitos, lesões e incapacidades causados pelo uso de bebidas alcoólicas associados à direção e do levantamento de dados nas unidades de emergência de ortopedia envolvidos no atendimento a essas lesões. Paralelamente a SBOT defende o investimento em unidades de atendimento e de capacitação de equipes de atendimento de emergência. A evolução tecnológica leva ao desenvolvimento de novos aparelhos, recursos e métodos e para estar atualizado há necessidade de uma programação de investimentos.

A SBOT pretende apresentar dados desta campanha já no próximo Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia, em novembro, em Salvador. Desde já os ortopedistas pretendem divulgar o tema junto a comunidade, gestores públicos, legisladores e imprensa. "Somente com esforço de vários setores da sociedade brasileira conseguiremos mudar este quadro desolador do nosso trânsito. Todos temos responsabilidade em tornar o trânsito mais humano e com respeito a vida", afirma o presidente da SBOT, Geraldo Motta.
Fonte : DOC Press



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 790 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)