Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Comissão da Fenam faz vistoria no HWG e é recebida pela governadora


Foto: Sinmed-RN
Comissão da Fenam faz vistoria no HWG e é recebida pela governadora
Comissão da Fenam reunida com a governadora, Rosalba Ciarlini.


19/09/2012
Em passagem por Natal, nesta terça-feira (18), a Comissão de Direitos Humanos da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) constatou o caos na saúde pública do Rio Grande do Norte. Pacientes em macas e sem previsão de atendimento, corredores servindo de quarto de internação, falta de medicamentos, e lixo espalhado. Esses são apenas alguns dos problemas apurados pela comissão no maior hospital público do estado, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, e que consistem no desrespeito à dignidade humana.

Acompanhados do presidente da Fenam (Geraldo Ferreira Filho), o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Aloísio Tibiriçá, e o representante da Fenam, José Roberto Murisset, fizeram uma vistoria no Hospital Walfredo Gurgel, que resultará em um relatório a ser entregue ao Ministério da Saúde e à Organização dos Estados Americanos (OEA). Após a finalização do relatório, prevista para próxima semana, os conselheiros irão requisitar a intervenção federal do sistema público de saúde do RN, tendo em vista que o próprio Governo Estadual declarou estado de calamidade pública na saúde há mais de dois meses e o quadro de caos no setor não foi alterado.

"A ideia de trazer a comissão à Natal ocorreu em virtude das graves violações que os direitos dos cidadãos têm sofrido em Natal, particularmente na assistência a saúde. Nós notamos que os hospitais não dão a menor dignidade ao atendimento", disse Geraldo Ferreira, que também é presidente do Sinmed-RN. Segundo Ferreira, a comissão deve ainda convocar, em Brasília, uma coletiva com correspondentes estrangeiros para comunicá-los dos crimes que são cometidos contra os cidadãos potiguares nos hospitais públicos.

Estudantes e médicos realizaram ato público em frente ao hospital em apoio a visita da comissão. Os manifestantes aproveitaram para protestar contra a precariedade do sistema público de saúde do estado.

Reunião com o Governo

A Governadora Rosalba Ciarlini convidou os membros da comissão para uma reunião, na tarde dessa terça (18), a fim de apresentar as ações de sua gestão voltadas para a saúde. Por mais de uma hora, representantes do Governo Estadual, do Sinmed, da comissão de direitos humanos da Fenam, e diretores de hospitais ficaram em reunião. O debate entre os participantes do encontro foi caloroso e a governadora teve um princípio de choro.

A gestora alegou dificuldades financeiras e afirmou que o Estado recebeu em torno de R$ 230 milhões em 2011, via Fundo Nacional da Saúde. O vice-presidente do CFM, Tibiriçá, argumentou que o DataSUS (sistema do Governo Federal com informações sobre o valor dos repasses da União para os estados) informava que R$ 800 milhões haviam sido encaminhados ao RN em 2011 para serem investidos na Saúde.

Durante a reunião, Rosalba tentou convencer a comissão pela não intervenção federal e pediu o relatório da visita ao Walfredo Gurgel. "Nós não vamos lhe entregar nenhum relatório. Nós vamos lhe denunciar", disse José Roberto Murisset, convencido de que a intervenção é a única solução para a saúde pública do RN.

"A Intervenção federal na saúde do RN é uma solicitação que a partir de hoje nós vamos colocar junto as entidades regionais de medicina. O que nós encontramos aqui é uma incapacidade local de resolver o problema. O Governo Municipal está em processo de fechamento das unidades de saúde, de não ter hospitais para dar resposta a essa crise. O Governo Estadual decretou estado de calamidade pública na saúde. Então, nós achamos que o Ministério da Saúde e o Governo Federal entrem diretamente aqui no estado, numa intervenção que faça uma co-gestão da resolução dos problemas que nós constatamos", resumiu Aloísio Tibiriçá.

Murisset foi surpreendido pela situação de caos do Walfredo Gurgel, que é um hospital de referência no estado. "O hospital encontra-se num estado calamitoso, que avilta a pessoa humana e é essa a razão da comissão estar aqui. Os problemas prejudicam não só os pacientes, mas também os profissionais que lá trabalham", declarou Murisset. Para o representante da Fenam, é notável a desorganização na gestão da saúde no RN.
Fonte : Sinmed-RN



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1087 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)