Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RN: líderes das entidades médicas pedem intervenção do governo na saúde pública


Foto: CFM
RN: líderes das entidades médicas pedem intervenção do governo na saúde pública
Um dos argumentos é que o próprio governo do Rio Grande do Norte declarou estado de calamidade pública na saúde há mais de dois meses.


26/09/2012
A Federação Nacional dos Médicos (FENAM), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (CRM-RN) pediram ao Ministério da Saúde que seja feita intervenção federal no Sistema Único de Saúde (SUS) do estado. A reivindicação foi apresentada nesta quarta-feira (26), durante audiência dos líderes das entidades médicas com o assessor especial do ministro da Saúde, José Evaldo Gonçalo.

"Foi entregue um documento que consta um rol de denúncias da precariedade da saúde pública na urgência e emergência do Rio Grande do Norte. É uma prova que nada foi feito para melhorar a saúde nos últimos anos. Pedimos uma intervenção do governo federal através do Ministério da Saúde", explicou o vice-presidente da FENAM, Otto Baptista, presente na ocasião. Ouça à íntegra do depoimento.

Um dos argumentos é que o próprio governo do Rio Grande do Norte declarou estado de calamidade pública na saúde há mais de dois meses, sendo que desde então o quadro de caos no setor não apresentou mudanças. "Chegamos a uma situação insustentável", relatou o presidente do CRM-RN, Jeancarlo Fernandes.

O caso também foi alvo de outras ações por parte das entidades médicas que apresentaram denúncias à Organização dos Estados Americanos (OEA). "Já esgotamos todas as medidas administrativas e até jurídicas para resolver a questão. Agora vamos buscar uma solução fora", finalizou o presidente do Conselho Federal, Roberto d’Avila.

Compromisso - O assessor especial do ministro da Saúde, José Evaldo Gonçalo, recebeu um dossiê das entidades com dados sobre os problemas apurados no Rio Grande do Norte. Segundo Gonçalo, um comitê de crise já está fazendo um acompanhamento diário sobre a região e se comprometeu avaliar os documentos e as reivindicações entregues.

No dossiê constam as conclusões de uma série de fiscalizações realizadas pelo Conselho Regional de Medicina. Nas visitas realizadas no Hospital Walfredo Gurgel, em Natal, um dos principais do estado, foram constatados situações de pacientes em macas e sem previsão de atendimento, corredores servindo de quarto de internação, falta de medicamentos e lixo espalhado.

Outras situações graves foram flagradas pelos conselheiros na última semana: um paciente recebendo procedimentos de ventilação no chão e um paciente com larvas na boca. "Os problemas persistem e aumentam sem que ocorra qualquer ação imediata do Estado do Rio Grande do Norte visando sanar tais irregularidades para um atendimento médico condizente com os preceitos básicos encadernados na Constituição Federal", diz o relatório.

Outro problema grave deixou indignado o conselheiro federal do CFM, Rubens Santos, que também participou da audiência: "diversas pessoas estão morrendo por falta de cirurgias que não estão sendo aplicadas por inexistir roupas", e completou "o que falta no estado não é só financeiro, e sim uma gestão eficiente".
Fonte : CFM



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 907 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)