Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

BA: debate dará início a paralisação dos atendimentos a planos de saúde



05/10/2012
Na Bahia, onde o movimento se destaca todos os anos, logo no dia 10 de outubro – primeiro dia da paralisação -, a Comissão Estadual de Honorários Médicos (Cehm) vai promover um debate que reunirá representantes do Ministério Público, Procon, ANS, entidades médicas e usuários de planos de saúde.

Os eventos serão realizados na sede da ABM (Rua Baependi, 162 - Ondina), às 14h, quando será aprofundada a discussão sobre as questões que envolvem os planos, em particular a contratualização. Durante o debate também será abordado o movimento dos obstetras, em não mais cobrar os partos por convênios. Em seguida haverá apresentações de médicos artistas (músicos e pintores).

Paralisação

Entre os próximos dias 10 e 19 de outubro, estarão suspensas as consultas, exames e cirurgias eletivas através de guias dos planos de saúde na Bahia. A decisão foi tomada em assembleia convocada pela Cehm, no dia 19 de setembro, seguindo orientação nacional da Comissão Nacional de Saúde Suplementar (Comsu). A paralisação terá o tempo e a abrangência que cada estado determinar, e não atingirá os atendimentos de urgência e emergência, que estarão mantidos.

Na Bahia, a paralisação atingirá as operadoras que:

Não negociam: Hapvida, Amil/Medial e Sulamérica;
Não cumprem acordo: Cassi, Petrobrás e Geap;
Apresenta propostas irrisórias: Golden Cross.

Até lá, é importante que os médicos se comuniquem e se articulem num processo crescente de mobilização, para construir uma paralisação forte, capaz de vencer a intransigência e a recusa das operadoras de saúde em valorizar o trabalho médico e respeitar os usuários.

Segundo a coordenadora da Cehm, Débora Angeli, é muito importante que a mobilização cresça a partir do engajamento das sociedades de especialidades, que desempenham um papel fundamental na organização da categoria médica.

Notificação aos planos

No mês de setembro, todos os planos de saúde receberam notificação judicial cobrando as negociações para correção do desequilíbrio econômico na remuneração dos médicos, implantação da CBHPM plena e vigente, contratualização e fim das interferências abusivas na autonomia profissional do médico. Os anestesistas estão em negociações com a Petrobrás e Sulamérica. Caso não evoluam as propostas que estão sendo negociadas, já avisaram que vão cancelar os contratos.
Fonte : Sindicato dos Médicos da Bahia



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 797 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)