Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

SP: proibida contratação sem concurso e terceirização de mão de obra



08/10/2012
O Sindicato dos Médicos de São Paulo (SIMESP) tem alertado há anos sobre as irregularidades nas contratações de médicos por meio de Organizações Sociais. Uma mão de obra terceirizada, contratada sem concurso público algum, muitas vezes com fragilidades no vínculo trabalhista. O que nem todos sabem é que a Justiça do Trabalho, em maio deste ano, proibiu todas as contratações de funcionários nas parcerias entre a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e as OSs, justamente por privatização irregular de mão de obra.

O assunto é tema de reportagem do jornal O Estado de S.Paulo desta quinta-feira, 4 de outubro, que ouviu o presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Cid Carvalhaes. Segundo a reportagem, a Procuradoria do Estado de São Paulo entrou com recurso, esta semana, para tentar reverter a decisão da Justiça do Trabalho. Em maio deste ano, segundo apurou o jornal, a juíza Carla El Kutby, da 3ª Vara do Trabalho, determinou que essas parcerias não usem mais profissionais sem concurso público, nem utilizem mão de obra terceirizada, sob a pena de multa diária de R$ 20 mil por trabalhador. Ela também condenou o Estado a pagar R$ 200 mil por danos coletivos ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Ainda segundo o Estadão, a secretaria diz que 37 hospitais e 44 unidades de saúde foram afetadas pela decisão. Apesar disso, o equipamento de saúde citado segue trabalhando "normalmente", com os profissionais contratados sem concurso e terceirizados pelas OSs.

Em entrevista à Rádio e TV Simesp, Carvalhaes considera a decisão da Justiça do Trabalho bastante significativa. "É um reconhecimento da justiça às razões que estamos defendendo há tempo. É um motivo de plena advertência às autoridades para que elas pensem nos interesses da população como um todo, e não nos interesses imediatistas de gestão, que nem sempre vêm em convergência aos da população. Espero que, a partir de agora, as contratações tenham rumos diferentes".
Fonte : SIMESP



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1037 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)