Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Profissional multifunção nas assessorias e a regionalização da notícia em debate


Foto: Fernanda Lisboa
Profissional multifunção nas assessorias e a regionalização da notícia em debate
Mesa de encerramento do IV Encontro de Assessores de Comunicação das Entidades Médicas


30/11/2012
O profissional multifunção nas assessorias e a regionalização da notícia foram os destaques do segundo dia do IV Encontro de Assessores de Comunicação das Entidades Médicas . O evento ocorreu no Conselho Regional de Medicina (CRM-PR), em Curitiba, nos dias 29 e 30 de novembro.

"Palestra: Profissional Multifunção: os desafios, os problemas e as vantagens dessa realidade nas assessorias de comunicação social"

O jornalista Robinson Machado iniciou o debate falando sobre as vantagens e desvantagens de ser um profissional multifunção.

"A otimização de recursos, a percepção de agilidade e o engajamento institucional são grandes vantagens nas assessorias de comunicação atualmente, mas por outro lado nos debatemos com a sobrecarga que dispersa o foco e torna geral e superficial os trabalhos".

Dentro desse contexto, Machado aconselha elaborar um planejamento estratégico que contenha prioridades a serem alcançadas ao longo do prazo, para que o objetivo maior seja atingido.

O jornalista Aldo Ribeiro explicou que as assessorias exigem a multifuncionalidade do profissional devido às próprias demandas do mercado.

"A tendência é sempre conseguir melhores profissionais. Existem falhas na formação e é preciso a evolução do trabalhador porque os clientes exigem cada vez mais".

Ele ainda ressaltou a importância da realização de cursos após a faculdade para suprir a deficiência do ensino na faculdade.

Regionalização da notícia – espaço aberto para falar do geral para o particular

De acordo com o jornalista Paulo Henrique de Souza, o segredo da comunicação é descobrir o público, fazer uma segmentação e direcionar o que é interessante informar.

"A regionalização se impõe de maneira relevante e requer planejamento. E o que dificulta o trabalho do comunicador é a falta de se programar. Precisamos encontrar novas técnicas que transformem as assessorias clássicas em assessorias contemporâneas".

O jornalista Renato Strauss, completou dizendo que com as particularidades locais, deve ser feita uma reflexão sobre a regionalização das mídias com uma gestão estratégica que adeque as atividades aos objetivos.

"Eu aposto em agregar valores e parto da questão porque esse público vai abrir o meu material? Devemos utilizar os mecanismos que respondem à essa pergunta para nos comunicarmos melhor".

No encontro, estiveram presentes comunicadores e médicos do Paraná, Santa Catarina, Roraima, Rondônia, Pará, Tocantins, São Paulo, Minas gerais, Bahia, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas, Pernambuco, Sergipe, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Mato Grosso e Campinas.

Fonte : Fernanda Lisboa



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 978 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)