Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Ministro apresenta resultados e desafios do SUS a profissionais de saúde estrangeiros


Foto: Divulgação/Internet
Ministro apresenta resultados e desafios do SUS a profissionais de saúde estrangeiros
Alexandre Padilha destaca a importância de reorganizar serviços de urgência e apostar em estratégias que ampliem o acesso e reduzam o tempo de espera em um sistema de saúde.


07/12/2012
Durante a Convenção Internacional "Cuba Saúde 2012", em Havana (Cuba), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou a representantes e profissionais de saúde de diversos países o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e traçou os objetivos do ministério para ampliar o acesso ao atendimento.

Para os participantes da convenção, o ministro destacou os avanços e desafios do Brasil na consolidação de um sistema de saúde público e universal. "Sabemos que temos muitos problemas a serem enfrentados, mas conseguimos alguns avanços que nos mostram que estamos no caminho certo", avaliou o ministro, que apontou como grandes conquistas do Brasil a redução da mortalidade materna em 50%, infantil em 70% e por doenças cardiovasculares em 55%.

O ministro chamou a atenção também para o esforço do Ministério da Saúde em reduzir o tempo de espera por um atendimento e melhorar o acesso na saúde pública. Nos últimos dois anos, o ministério da Saúde criou estratégias que aumentaram o número de procedimentos e reduziram o tempo de espera, como os mutirões de cirurgias eletivas, que ampliou em 16% % o número de procedimentos do tipo de 2010 para 2011, além do S.O.S Emergências, que, em um ano, conseguiu reduzir a taxa de ocupação de grandes hospitais no país.

"Reorganizando os serviços, que é o nosso grande desafio, e mudando a organização e lógica de atendimento, estamos mostrando que é possível acabar com a imagem de que macas tem que ficar em espaços inadequados", disse Padilha.

COOPERAÇÃO BRASIL-CUBA - Em sua passagem por Cuba, o ministro Alexandre Padilha se reuniu com o ministro da Saúde de Cuba, Roberto Ojeda, e o ministro de Comércio Exterior e Investimentos Estrangeiros de Cuba, Rodrigo Malmierca Diaz, para avaliar o andamento dos acordos de cooperação internacional que o Brasil mantém com aquele país, como formação de recursos humanos, transferência de tecnologia e produção de medicamentos. "Algo fundamental na consolidação do sistema de saúde é uma aliança estratégica de países parceiros na defesa de uma saúde pública para todos. Dessa forma, podemos melhorar a saúde dos brasileiros e ajudar a economia cubana", avaliou Padilha.

Entre os acordos de cooperação discutidos, está o apoio do Brasil, junto com Cuba, na reestruturação do Haiti. O acordo tripartite inclui a construção de três hospitais comunitários de referência e do Instituto Haitiano de Reabilitação – Laboratório de Órteses e Próteses. As instalações serão inauguradas já no próximo ano.
Fonte : Agência Saúde



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 949 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)