Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar




Palavras-chave

AL: médicos vaiam governador na abertura dos trabalhos na Assembleia


Foto: Jonathas Maresia
AL: médicos vaiam governador na abertura dos trabalhos na Assembleia
Médicos acompanharam a abertura da sessão legislatura com manifestação.


20/02/2013
As promessas do governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) não foram suficientes para amenizar os ânimos dos médicos da rede estadual de saúde. Durante a tradicional leitura do plano de governo à Assembleia Legislativa, feita pelo chefe do Poder Executivo, na tarde dessa terça-feira (19), os profissionais realizaram um protesto exibindo faixas no auditório do plenário, na primeira sessão legislativa do ano, e pedindo respeito. No final do discurso de Vilela, eles chegaram a vaiar o tucano.

Há 70 dias, os médicos estão parados por questionarem a postura do Executivo frente à necessidade dos profissionais. "Eles prometeram reajustar os nossos salários e até agora nada. Esse governador não tem compromisso com a saúde pública. Estamos cansados de promessas vazias. Os nossos hospitais estão funcionando sem nenhuma condição e quem sofre com isso, logicamente, é a população", revelou a diretoria do Sindicado dos Médicos de Alagoas, Edenilda Albuquerque.

Ainda segundo a diretora, a saúde pública do Estado de Alagoas é a pior do Brasil e a inércia do governador tucano faz os números crescerem dia após dia. "Era importante que a imprensa visitasse as salas, leitos e outros locais dos hospitais públicos. A situação, sem exagero, é de completa miséria. Não há mais espaço para essa realidade continuar", desabafou a sindicalista.

No auditório e de costas para o plenário da ALE, os servidores exibiam uma faixa com os dizeres: 'A saúde agoniza e o governo ironiza', em referência à falta de diálogo com os profissionais. "Tenho certeza que esse não é o melhor caminho para a saúde pública. É imperativo que haja uma nova postura para o bem de toda a população alagoana", emendou Edenilda Albuquerque.

Já o deputado Antônio Albuquerque (PT do B) pediu, em aparte, que os servidores fossem tratados com a atenção e o respeito que merecem. "Nos últimos meses, precisei desses profissionais e vi de perto a importância do trabalho dos mesmos. Por isso, é necessário que um caminho seja construído para resolver esse impasse", colocou o parlamentar.

Ao final da sessão solene, Vilela foi abordado por parte dos sindicalistas. O chefe do Executivo alagoano prometeu criar uma mesa de diálogo para debater as necessidades da classe médica. "Em nenhum momento o Estado se negou a conversar sobre questões salariais. Alagoas é uma região pobre e nem sempre é possível reajustar os salários de acordo com as necessidades dos servidores", rebateu o governador, em entrevista à imprensa.
Fonte : Gazetaweb



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 834 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)