Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RJ: mais uma criança morre à espera de transplante


Foto: Agência O Dia
RJ: mais uma criança morre à espera de transplante
Mais uma criança morre à espera de transplante


20/03/2013
A crise no Hospital Federal de Bonsucesso vai virar caso de Justiça. Após a segunda morte, em três dias, de pacientes infantis na fila de espera por transplante, a Defensoria Pública da União pretende ajuizar ação civil pública para que a União, por meio do Ministério da Saúde, recomponha a equipe cirúrgica da unidade em 15 dias, sob pena de R$ 100 mil de multa diária.

A falta de profissionais no local levou à suspensão, desde 5 de dezembro de 2012, dos transplantes de rim e fígado. O hospital é o único do estado a realizar esse tipo de procedimento em crianças.

"Estou entrando em contato com as famílias das crianças que estão na fila de espera. Será uma ação coletiva, pois vai beneficiar a todos. Esses pacientes não podem ser prejudicados", declarou o defensor público Daniel Macedo, que está à frente do caso.

O médico da unidade e diretor do sindicato da classe, Júlio Noronha, o abandono da unidade é visível: "O descaso, acentuado nos últimos dois anos, é perceptível tanto do ponto de vista físico, pela má conservação do prédio, quanto pela falta de profissionais".

Noronha critica a falta de investimentos no hospital, que está com um especialista na área: "Há 33 anos fazemos transplante renal e há 13, de fígado. Deixamos de realizá-los, colocando em risco a população. Há duas crianças, cujos doadores são os pais, esperando pela cirurgia que não pode ser realizada".


Estado promete transplante em abril

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a partir de abril, o Hospital Estadual da Criança passará a fazer transplantes. A unidade terá capacidade para realizar até 20 cirurgias de rim e 20 de fígado por mês.

A coordenação do Programa Estadual de Transplantes (PET) - que regula o sistema de transplantes no Rio - tem atuado para compensar a falta do serviço em Bonsucesso, enviando pacientes e órgãos para serem transplantados fora do estado.

O PET afirma que adultos ou crianças que estão na fila da unidade poderão ser transplantados em outros locais, assim que conseguir órgão. O telefone do Disque-Transplante é 155.
Fonte : Sinmed-RJ com informações do Jornal O Dia



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 826 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)