Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

BA: médicos e governo chegam a um acordo e evitam greve



25/03/2013
Em assembleia na última terça-feira (19), os médicos baianos aceitaram a proposta de reajuste e da implantação do Plano de Cargos, Carreira e Vencimento (PCCV) do Governo do Estado. A assembleia aconteceu na sede da Associação Baiana de Medicina, em Ondina.

Mais cedo, em reunião realizada na Governadoria entre o Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindmed) e o Governo do Estado, foi firmado um entendimento para evitar a greve da categoria.

Entretanto, segundo o presidente do Sindmed, Francisco Magalhães, embora a categoria tenha suspendido a greve prevista para esta quarta, 20, o estado de mobilização cobrando o cumprimento do prazo oferecido pelo governo para elaborar e enviar o projeto de lei do PCCV até maio de 2013 está mantido. Desta forma, afirma, haverá a garantia de que o plano estará implantado até julho deste ano.

Acordo - Pelo acordo, será implantado o PCCV, reivindicação das entidades médicas que vem sendo feita há pelo menos 30 anos, destacou o secretário Jorge Solla. O plano prevê uma política de promoções que irá até 2016, com previsão de reajuste salarial em julho deste ano e abril de 2014. O impacto financeiro nas contas do Estado ficará situado em cerca de R$ 100 milhões, segundo o secretário Solla.

O presidente do Sindmed declarou que foi feito um esforço por parte do governo para chegar a um acordo. "Esse entendimento que foi fechado pela secretaria e as entidades médicas pode gerar um reajuste de 15% a 30% nos vencimentos dos médicos", disse o sindicalista.

O secretário Jorge Solla, por sua vez, considerou que este acordo resolve uma dívida histórica de vários governos com a categoria médica no serviço público do Estado, e que comprovaria "o compromisso do governo com os médicos".

Reajuste - O PCCV vem sendo elaborado há cerca de um ano por um grupo de trabalho formado por técnicos do governo e por representantes das entidades médicas. "Em oito anos dos governos anteriores a 2007, os médicos tiveram reajuste de 50%. Já no final do governo Wagner estes ganhos chegarão a 300%", afirmou Solla.

Ele informou que, até 2006, a remuneração de um médico para um plantão de 24 horas era de R$ 1.200, e que com este acordo será de R$ 6.200. E acrescentou que o plano corrige uma distorção existente entre os vencimentos dos médicos da ativa e aposentados, recupera perdas históricas e ajuda a melhorar a qualidade da assistência médica ao povo baiano.

Fonte : Mobi A Tarde



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 615 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)