Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

O Rabo do Diabo


Foto: Internet
O Rabo do Diabo
Geraldo Ferreira, presidente da FENAM e do Sinmed-RN.


02/07/2013
Esta, me contou Dr. Murisset, diretor de Direitos humanos da FENAM, em nossas conversas sobre política. Você sabe por que o Diabo enfrenta Deus, e mesmo com todo poderio de Deus, vai em frente nesse confronto e não é vencido de forma definitiva? Porque tem experiência. Há outras versões da mesma história que diz - Porque é velho. Mas velho deve ser entendido aí como experiente.

Falo isso porque ao longo de infindáveis conflitos com os governos de várias instâncias, municipal, estadual e federal, e de vários partidos e ideologias, vai-se aos poucos detectando o padrão de comportamento e muitas vezes as palavras de abertura de uma reunião, com um gestor que nunca vimos antes, já desenham quem ele é, numa espécie de Já vi isso, repetido tantas vezes em mesas de negociação, ao longo de anos.

Não me engana o ministro Padilha, nem a presidente Dilma nessa história de importar médicos cubanos, não há aí política com P maiúsculo, a bem da verdade os Cubanos são médicos internacionalista com formação de menos da metade da carga curricular dos médicos brasileiros, com limitados conhecimentos, para fazer política para os prefeitos dos interiores e para a reeleição de Dilma. Foi assim na Venezuela, Bolívia e Equador. Entre as pérolas de seu regimento, para cada cinco cubanos, há um supervisor não médico para os vigiar, eles não podem dar declarações a imprensa, não podem denunciar más condições de trabalho, não podem casar com as nativas do país, não podem migrar para locais fora dos destinados, e não podem votar nem ser votados, o grande pesadelo dos prefeitos quando contratam médicos brasileiros para suas cidades.

No meio de uma crise sem tamanho na saúde pública brasileira, a mesquinharia e a pequenez dos que poderiam aliviar tanto sofrimento, volta-se para o gesto de fazer a política miserável de se aproveitar da situação para se beneficiarem eleitoralmente. Triste País, tristes municípios , que agora estimulados pelo ministro Padilha atentam contra essa grande conquista da sociedade que foi a regulamentação da medicina. Eles querem continuar enganando o povo, com unidades sem médicos e simulações de assistência à saúde por meios escusos.

Percebendo a malícia do governo, reagimos, o povo merece assistência no mesmo padrão que Dilma recebeu na rede particular de saúde, que lhe salvou a vida. Não se pode ser perverso, enganar as pessoas dando assistência de qualidade questionável. Vai ver se algum Prefeito ou Político procura os serviços que montam, quando estão enfermos. Eles procuram do bom e do melhor e querem oferecer enganação aos mais pobres que buscam os serviços públicos de saúde.

É mais ou menos assim, sempre que ouço as propostas de gestores empacotadas de boas e nobres intenções, não me rendo com facilidade a elas. Fico matutando, analisando e muitas vezes só percebo o diabólico, quando de relance percebo que a doçura do projeto e a argumentação farta é traída pela visão do rabo, que se delineia sob as vestes. É o rabo do Diabo. Então, livre do encantamento, me preparo para a luta.

Fonte : Geraldo Ferreira



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 988 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)