Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

FENAM participa de debate no Senado sobre Mais Médicos


Foto: Valéria Amaral.
FENAM participa de debate no Senado sobre Mais Médicos
Comissão de Direitos Humanos debate programa Mais Médicos com representantes do governo e entidade médica.


22/08/2013
O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Geraldo Ferreira, defendeu nesta quinta-feira (22), em Brasília, que o ingresso no Brasil de médicos estrangeiros sem diploma revalidado coloca em risco o atendimento à população e também viola os direitos trabalhistas desses profissionais. A declaração foi feita durante audiência Pública no Senado Federal, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa.

"É importante que os cidadãos saibam que nós queremos mais médicos para trabalhar no interior, mas que eles tenham condições reais de prestação de serviço, com qualificação comprovada do exercício da medicina no Brasil. Mas, vender para a população que ele vai ter um médico que não fala português e sem diploma comprovado? Isso não é garantir atendimento à população. Isso coloca a população em risco", declarou o presidente.

Para o senador Paulo Davim (PV-RN), o problema da saúde pública não é a falta de médicos, mas sim financiamento adequado. Ele argumentou, na ocasião, que a o Brasil vive uma dívida histórica com a população mais carente. "Enquanto não tiver um financiamento adequado a gente não vai resolver o problema da saúde no Brasil. Não basta apenas colocar o profissional lá, se não tiver uma equipe mínima multiprofissional. O SUS precisa de soluções duradouras", disse o senador.

De acordo com a presidente da comissão, a senadora Ana Rita (PT-ES), o objetivo da audiência era colher informações para subsidiar a Comissão Mista da Casa, que vai analisar a Medida Provisória 621, que instituiu o programa Mais Médicos. Ela lembrou que a saúde pública deve atender todos os brasileiros, não apenas os que moram nas capitais, mas também aqueles das regiões mais distantes. "Como a população indígena pode ter acesso à saúde? Não podemos pensar que todo mundo tem os mesmos problemas, as mesmas necessidades e as mesmas carências. Estamos falando de uma população que tem especificidades diversas e que exige do poder público ações efetivas para atender essas necessidades", afirmou a senadora.

Participaram também da audiência pública para debater o programa Mais Médicos, sob a ótica dos direitos humanos, o secretário de Estado da Saúde da Bahia, Jorge Solla; a presidente do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro de Souza; o secretário substituto da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação, Fernando Antônio Menezes da Silva; a prefeita do município de Guarujá (SP), Maria Antonieta; e o especialista em Saúde Coletiva, Heleno Rodrigues Correa Filho.
Fonte : Valéria Amaral



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 887 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)