Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: saiba quem são os deputados que votaram com a categoria no Ato Médico



28/08/2013
Apesar do Congresso Nacional ter mantido os vetos da presidência da República à Lei do Ato Médico em votação secreta na madrugada da quarta-feira (21), muitos parlamentares da bancada gaúcha abriram seus votos a favor da categoria. Em pronunciamento durante a sessão de apreciação de vetos presidenciais, na noite de terça-feira (20), o deputado Onyx Lorenzoni (DEM) afirmou que o jogo do governo é jogar profissões umas contra as outras.

"O que nós assistimos nesta questão que envolve a profissão dos médicos - eu que sou veterinário - é jogar profissões que deveriam estar unidas para exigir 10% da receita brasileira para a saúde brasileira", disse. Ao defender a derrubada dos vetos, Onyx enfatizou a intenção do governo de importar médicos estrangeiros: "Amanhã, serão dentistas, farmacêuticos, veterinários, agrônomos e todas as profissões brasileiras".

Em visita ao SIMERS, que antecedeu a votação, o presidente da Frente Parlamentar da Saúde, deputado federal Darcísio Perondi (PMDB), afirmou que a decisão de vetar a lei do Ato Médico é uma ofensa ao Congresso Nacional e aos médicos que cuidam da saúde das pessoas. Para ele, que também é médico, o que o governo federal fez é um retrocesso. "São 11 anos de negociações, muitas audiências e reuniões para chegar a um consenso, e agora a presidente veta," disse.

Em audiência pública com a bancada gaúcha realizada em Porto Alegre, os deputados federais Osmar Terra (PMDB) e Alexandre Roso (PSB) defenderam a derrubada dos vetos. Em mobilizações da categoria no Congresso Nacional, o parlamentar Renato Molling e a senadora Ana Amélia Lemos, do PP, abriram seus votos favorável ao ato médico. O deputado federal Vieira da Cunha (PDT) recebeu visita de uma comissão das entidades médicas em seu escritório na Capital. Na oportunidade, declarou: "vamos atender a justa reivindicação das entidades médicas e votar pela derrubada do veto da presidente da República".

O PT, como era de se esperar, fechou posição contrária ao ato médico. A exceção foi o senador Paulo Paim (PT) que abriu seu voto a favor da derrubada dos vetos. Durante a sessão plenária, os petistas Fernando Marroni e Dionísio Marcon se pronunciaram na trina pela manutenção dos vetos.

Ao usar a tribuna, o deputado federal Giovani Cherini (PDT) atacou a categoria médica. "Mas têm muitos médicos bons, têm muitos médicos inteligentes ... São médicos que não querem exclusividade, não precisam de exclusividade, porque uma coisa que está dividida aqui é aqueles que defendem a doença para enriquecer laboratórios, para enriquecer farmácias, para enriquecer laboratórios multinacionais, esta é a diferença que está aqui. Ali estão os defensores da saúde e é por isso, que nós estamos divididos aqui", discursou o parlamentar.

Apesar dos vetos terem sido mantidos, o SIMERS reforça que diagnóstico e prescrição continuam sendo atividades médicas, já que em todas as outras profissões da saúde - regulamentadas - não existe a previsão dessa prerrogativa.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1160 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)