Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RS: médicos esclarecem população sobre condições do hospital Centenário



13/09/2013
Os médicos do Hospital Centenário realizaram ato público em frente à instituição na manhã da última quarta-feira (11). O grupo fez um alerta à população sobre a precária situação do único hospital de São Leopoldo.

Dezenas de pessoas que passavam pelo local receberam panfletos informativos sobre as condições do Centenário e puderam conversar com o Corpo Clínico, que esclareceu os motivos do descontentamento da categoria: a terceirização do atendimento médico – o que gera mais custos para a administração; o descumprimento de itens do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público em maio de 2012, como a falta de profissionais para fechar as escalas de plantão e recursos essenciais para a prestação da assistência à população, além da interdição do Hospital pelo Conselho Regional de Medicina (CREMERS) por não apresentar condições mínimas de atendimento adequado.

O grupo também reivindicou melhorias para outras unidades, como os postos de saúde e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estão com falta de médicos e lembrou ainda da ausência de ambulância na Secretaria de Saúde. Uma faixa exposta em frente ao hospital definiu o sentimento dos médicos do Centenário: "O prefeito Moacir esqueceu da Saúde. Estamos de luto", em referência ao prefeito de São Leopoldo, Aníbal Moacir da Silva.

O presidente da Associação de Médicos do Hospital Centenário (AMEHCE), Geraldo Bischoff, contou que a expectativa dos médicos era de que o novo governo, que assumiu a prefeitura de São Leopoldo em janeiro, atendesse às reivindicações, o que não aconteceu. "Já se passaram oito meses e o hospital, assim como a rede municipal de saúde, continua na mesma situação. Por isso estamos mostrando este cenário aos cidadãos, que precisam estar cientes do caso", disse.

A população também aproveitou a ocasião para desabafar. A aposentada Maria Fernandes de Oliveira, que visitava o pai internado, definiu como "repugnante" a higienização do local e cobrou ações do governo municipal. "Nós esperávamos o que o prefeito prometeu em campanha, mas ele não cumpriu. Como eleitora nem sei mais o que esperar", revelou.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 854 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)