Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

RN: médicos do PROVAB decidem redigir documento questionando edital e portarias do programa



24/09/2013
Médicos do Programa de Valorização dos Profissionais da Atenção Básica – PROVAB - se reuniram no Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) com representantes da comissão estadual do Programa, para esclarecer alguns pontos indefinidos em editais e solicitar mais atenção à falta de estrutura e condições de trabalho em algumas unidades de saúde.

Para os médicos, os pontos mais questionados e que não estão claro nos editais e portarias publicadas até agora são o período em que o profissional pode solicitar o descanso, a bonificação de 10% nos exames de residência médica (e a validade desta prerrogativa) e a falta de padronização no número de atendimentos.

Além das incertezas nos editais, os médicos questionam que há muita incoerência entre o programa de especialização (ofertada a distância pela Universidade de Pelotas) e a realidade dos municípios em que eles trabalham. Esta especialização também foi questionada com relação a carga horária. Os médicos trabalham 32h em suas unidades de saúde e têm apenas 8h para o estudo.

"Colocaram a nomenclatura "especialização" só para dar tratamento de estudante, mas trabalhamos muito. Acredito que este programa se equivale ao Mais Médicos, serve para tapar o buraco que temos na saúde pública", afirmou um dos médicos presentes.

A vice-presidente do Sinmed/RN, Mônica Andrade, lembrou que o sindicato assinou, junto aos outros sindicatos do NE, um documento em que declarava ser contrário a implantação do Programa e afirmou "o Ministério da Saúde fez um programa muito falho e que não tem sustentação . Por isso devemos ficar atentos e trabalhar as melhorias" .

Para obter respostas que garantam a dignidade do trabalho médico, os Provabianos marcaram para a próxima terça-feira (24), 18h, outra reunião para redigir um documento, com a ajuda do setor jurídico do Sinmed, questionando tais pontos para enviar ao Ministério da Saúde e a UFPEL. Caso não obtenham resposta, pode acontecer a abertura de um processo jurídico.

Lyane Ramalho, coordenadora da instituição supervisora UFRN, participou do debate com os médicos e informou que todos os questionamentos serão levados para o Ministério da Saúde e apresentados durante a próxima reunião da Comissão do Provab no estado.
Fonte : Sinmed/RN



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1556 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)