Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Minist?rio da Sa?de lan?a campanha nacional de incentivo ao parto normal



31/05/2006
O Minist?rio da Sa?de lan?ou nesta ter?a-feira (30/05), a campanha nacional de incentivo ao parto normal e redu??o da ces?rea desnecess?ria. De acordo com os dados de 2004 do Sistema de Nascidos Vivos (Sinasc) do minist?rio, 41,8% dos partos realizados em todo o Brasil foram cir?rgicos.



Com a deflagra??o da campanha, entre outras a??es, o minist?rio celebra o Dia Internacional de Luta pela Sa?de da Mulher e o Dia Nacional de Redu??o da Mortalidade Materna, comemorados no domingo (28).



A campanha atingir? todo o pa?s. Cerca de 90 mil cartazes e de 3 milh?es de f?lderes sobre os benef?cios do parto humanizado ser?o distribu?dos, prioritariamente, para mulheres gr?vidas e profissionais dos servi?os de sa?de p?blicos e privados que atendem gestantes e realizam partos. Trata-se de mais uma medida de qualifica??o do atendimento de mulheres no Sistema ?nico de Sa?de (SUS). O direito da mulher em trabalho de parto e p?s-parto ? acompanhante na rede SUS, recentemente garantido em lei e regulamentado pelo minist?rio, tamb?m ser? abordado pela campanha.



"O parto normal pode ser uma experi?ncia enriquecedora para a mulher e sua fam?lia, se atendido de forma humanizada e com fundamenta??o em evid?ncias cient?ficas e sem interven??es desnecess?rias. As ces?reas aumentam riscos de morte, les?es acidentais, rea??es ? anestesia, infec??es e hemorragias das usu?rias, e de prematuridade e desconforto respirat?rio, de seus beb?s", ressalta a diretora do Departamento de A??es Program?ticas e Estrat?gicas do Minist?rio da Sa?de, Cristina Boaretto.



Agenda da Mulher - Na mesma ter?a-feira, o minist?rio vai lan?ar a Agenda da Mulher, destinada ? popula??o feminina brasileira com mais de 10 anos de idade. "A agenda leva maior conhecimento, e, portanto, mais protagonismo ? vida das mulheres. ? uma grande aquisi??o para as mulheres que desejam cuidar de sua pr?pria sa?de", refor?a Cristina.

Na Agenda da Mulher ir?o constar informa??es acerca de cuidados com a sa?de e ser?o registrados dados da assist?ncia integral prestada ? sa?de de sua portadora.



A Agenda da Mulher tamb?m faz parte da rec?m-lan?ada Pol?tica Nacional de Aten??o Oncol?gica, que estabelece uma nova rela??o entre o paciente portador de c?ncer e o seu acompanhamento pela rede p?blica, ao integrar todos os n?veis de aten??o ? sa?de, da alta complexidade ao Programa de Sa?de da Fam?lia.



Outras duas a??es, no entanto, v?o igualmente marcar o Dia Internacional de Luta pela Sa?de da Mulher e o Dia Nacional de Redu??o da Mortalidade Materna, em 2006: o lan?amento da quinta edi??o do Pr?mio Nacional Professor Galba de Ara?jo e a apresenta??o do balan?o do Pacto Nacional pela Redu??o da Mortalidade Materna e Neonatal.



O pr?mio, criado em 1998, destaca a humaniza??o da assist?ncia obst?trica e neonatal e o incentivo ao parto normal. Ao todo, ser?o agraciadas cinco institui??es da rede SUS, uma por regi?o, com R$ 50 mil cada, para incrementar a??es em favor do parto humanizado.



J? no balan?o do pacto - firmado entre Uni?o, Estados e munic?pios em 2004 - ser?o divulgadas as a??es realizadas nos ?ltimos dois anos. Ressalta-se a promo??o de dois semin?rios nacionais e 18 estaduais sobre aten??o obst?trica e neonatal humanizada baseada em evid?ncias cient?ficas para fortalecer a capacidade t?cnica dos profissionais que trabalham em 260 maternidades; o lan?amento de 94 Servi?os de Atendimento M?vel de Urg?ncia (Samu) que est?o sendo preparados para o atendimento da gestante e da parturiente; o lan?amento do Programa Sa?de e Preven??o nas Escolas com cobertura para todos os 425 munic?pios com pol?tica de incentivo em Doen?as Sexualmente Transmiss?veis e Aids; o incremento da utiliza??o do AZT injet?vel no momento do parto, de 34,8% das gestantes portadoras de HIV estimadas, em 2002, para 55,84%, em 2005; a distribui??o dos testes r?pidos para diagn?stico do HIV em 1.142 maternidades para uso em triagem de parturientes n?o testadas durante o pr?-natal; a expans?o dos Programas de Sa?de da Fam?lia e agentes comunit?rios de sa?de; a amplia??o de 2.879 novos leitos de UTI na rede do SUS, o que ultrapassou a meta de redu??o em um ter?o do d?ficit na ?rea; a normatiza??o da aten??o humanizada ao abortamento; a capacita??o de parteiras quilombolas e ind?genas; e a implanta??o de 31 comit?s regionais de morte materna, de 361 comit?s municipais e de 56 hospitalares.

Fonte : Ag?ncia Sa?de - 31/05/2006



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 530 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)