Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Anemia ainda ? problema grave em Pernambuco



17/11/2006
A anemia ferropriva ? um grave problema carencial do Brasil, que atinge, principalmente, crian?as nos primeiros anos de vida. Para se ter uma id?ia, naquelas menores de cinco anos, as preval?ncias variam entre 31,4% e 47,8%. Entre os principais determinantes do problema est?o as prec?rias condi??es s?cio-econ?micas e ambientais, as infec??es, o baixo peso ao nascer, o desmame precoce e a ingest?o deficiente de alimentos ricos em ferro. Baixa escolaridade materna e menor renda per capita tamb?m contribuem para aumentar os ?ndices de anemia, como mostra um estudo realizado por Maria Alice Oliveira e colegas da Universidade Federal de Pernambuco.



De acordo com artigo publicado na edi??o de outubro de 2006 da revista Cadernos de Sa?de P?blica, "o trabalho teve como objetivo avaliar a associa??o da concentra??o de hemoglobina e da preval?ncia de anemia com as vari?veis s?cio-econ?micas, consumo de leite de vaca e outras vari?veis relacionadas ? dieta". A amostra estudada foi de 746 crian?as de 6 a 59 meses. Foi realizada entrevista domiciliar com a m?e biol?gica ou adotiva, ou com o indiv?duo adulto respons?vel pelo cuidado da crian?a, utilizando-se um formul?rio.



Os resultados mostram que a preval?ncia de anemia para o estado de Pernambuco foi de 40,6% e apresentou tend?ncia de diminui??o, estatisticamente significativa, com o aumento da idade, renda familiar per capita e escolaridade materna, mostrando-se mais acentuada entre as crian?as do Interior Rural. "A maior preval?ncia de anemia nas crian?as menores provavelmente est? associada ?s necessidades elevadas de ferro para fazer face ao crescimento intenso, ao mesmo tempo em que a sua dieta ? pobre em alimentos fontes de ferro, especialmente do ferro biodispon?vel, sendo baseada no consumo de leite de vaca. J? a escolaridade materna est? associada ? renda, uma vez que um maior n?vel de instru??o pode proporcionar maiores chances de emprego, melhores sal?rios e, portanto, maior poder aquisitivo e melhor acesso aos alimentos", explicam os especialistas no artigo.



A preval?ncia de anemia apresentou tend?ncia linear significativa de aumento ? medida que se elevou a propor??o de calorias do leite na dieta, e de redu??o com o aumento da densidade de ferro (total, heme e n?o-heme). "Com base na situa??o aqui encontrada, devem ser consideradas a??es preventivas de incentivo ao aleitamento materno exclusivo at? os seis meses de idade e o seu prolongamento pelo menos at? os dois anos. A fortifica??o de alimentos infantis com ferro tamb?m se torna medida relevante para a preven??o da anemia e de suas conseq??ncias na inf?ncia. Outras a??es para o combate ao problema s?o a suplementa??o medicamentosa (j? contemplada no programa de interven??o e controle da defici?ncia de ferro do Minist?rio da Sa?de), o controle das infec??es parasit?rias e a fortifica??o de alimentos com ferro", ressalta a equipe no artigo.









Fonte : Ag?ncia Notisa - 17/11/2006



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 402 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade FENAM
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da FENAM




Enquete

Você é filiado ao seu sindicato?


Não
Sim
Opa, selecione uma op��o.









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)